Calor no DF bate recorde de 2019 e chega a 35,9ºC. Umidade fica em 10%

De acordo com o Inmet, o calorão continuará no fim de semana. As primeiras precipitações só devem ocorrer a partir de quarta (25/09/2019)

Rafaela Felicciano/MetrópolesRafaela Felicciano/Metrópoles

atualizado 20/09/2019 16:49

As altas temperaturas no Distrito Federal se mantêm e, nesta sexta-feira (20/09/2019), bateram novo recorde de 2019. De acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), os termômetros registraram, por volta das 15h, 35,9ºC no Gama. A umidade relativa do ar ficou em 10% na mesma região. Em Águas Emendadas (Planaltina), chegou a 11%. Os percentuais significam a manutenção do estado de emergência decretado pela Defesa Civil.

Há 109 dias sem chuva, o DF está coberto por névoa seca, um fenômeno causado pela ação dos ventos, que sopram poeira ou fuligem de queimadas, causando acúmulo dessas substâncias na atmosfera. E as previsões são que o calor e a seca se mantenham pelo menos até a quarta-feira (25/09/2019). Nessa data, segundo o Inmet, devem ocorrer as primeiras precipitações pós-estiagem.

“O fim de semana continua quente. Deve ocorrer alguma mudança, com mais nuvens, porém, chuvas isoladas só estão previstas para a semana que vem. Na segunda-feira (23/09/2019), poderemos fazer uma previsão melhor”, afirmou a meteorologista do Inmet Naiane Araújo.

Segundo a especialista, a maior temperatura já registrada no Distrito Federal foi 37,3ºC, em 15 de outubro de 2017, na estação de Águas Emendadas. No Plano Piloto, o dia mais quente computado até o momento foi em 18 de outubro de 2015 – 36,4ºC.

Alerta vermelho

A Subsecretaria do Sistema de Defesa Civil havia suspendido o estado de emergência na segunda-feira (16/09/2019), após dois dias com umidade relativa do ar acima de 12%. Mas, após o índice baixar para 10% por 48 horas seguidas, o órgão retomou o alerta vermelho.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), a umidade relativa do ar ideal é acima dos 60%. Com percentuais mais baixos, a população deve se hidratar bastante para amenizar os efeitos da estiagem. Outro problema é o ambiental: nesta época do ano, aumenta a ocorrência de incêndios.

Reprodução

Fique atento!

Entre 21% e 30% (estado de atenção)

  • Evitar exercícios físicos ao ar livre entre 11h e 15h;
  • Umidificar o ambiente por meio de vaporizadores, toalhas molhadas e recipientes com água;
  • Consumir água à vontade.

Entre 12% e 20% (estado de alerta)

  • Observar as recomendações do estado de atenção;
  • Suprimir exercícios físicos e trabalhos ao ar livre entre 10h e 17h;
  • Evitar aglomerações em ambientes fechados;
  • Usar soro fisiológico nos olhos e nas narinas.

Abaixo de 12% (estado de emergência)

  • Observar as recomendações para os estados de atenção e de alerta;
  • Interromper qualquer atividade ao ar livre entre 10h e 16h, como aulas de educação física, coleta de lixo, entrega de correspondência, etc;
  • Durante as tardes, manter os ambientes internos úmidos, principalmente quartos de crianças, hospitais, etc.

Últimas notícias