Após fracasso em pregão, secretário de Saúde do DF garante: “Não vai faltar seringa”

Segundo Osnei Okumoto, o DF terá mais de 3 milhões de seringas até 10 de janeiro, para utilização na 1ª fase de vacinação contra a Covid-19

atualizado 06/01/2021 16:57

Secretário de Saúde, Osnei OkumotoIgo Estrela/Metrópoles

Após a tentativa de comprar seringas e agulhas para vacinação contra a Covid-19 fracassar em um pregão eletrônico, o secretário de Saúde do Distrito Federal, Osnei Okumoto, informou, nesta quarta-feira (6/1), que não faltarão insumos para a vacinação no DF neste início de ano. A declaração foi feita durante a entrega de leitos de UTI Neonatal no Hospital Materno Infantil de Brasília (Hmib), nesta manhã.

O GDF publicou, no Diário Oficial do DF (DODF) desta quarta-feira, o resultado da tentativa de licitação. A pregoeira da central de compras da Subsecretaria de Administração Geral (Suag), da Secretária de Saúde, comunicou que o pregão, que teve como objeto a aquisição de seringa hipodérmica, restou fracassado.

No último dia 30, o subsecretário de Logística da Secretaria de Saúde, Artur Felipe Siqueira, informou que o DF encerrava o ano com estoque de 2,2 milhões de seringas de 3 ml, usadas para a vacinação, e esperava receber mais 1 milhão até 10 de janeiro.

“Com isso, fechamos o total de 3,2 milhões, que cobre toda a população do Distrito Federal. Então, em termos de seringa para a vacina, não há motivo para preocupação”, comunicou, naquela data.

Nesta quarta, mesmo após o fracasso do pregão, Okumoto garantiu que o governo terá mais de 3 milhões de seringas na primeira fase de vacinação no DF. A ideia ainda é obter esta quantidade até o próximo dia 10. “A gente tem uma ata de registro de preços em andamento, temos saldo para chamar dessa ata de registro de preços. Então, a gente deve passar de cerca de 3 milhões de seringas já agora nesta primeira fase”, disse.

De acordo com o secretário, o problema do pregão não afetará a vacinação no DF. “Como a gente faz as licitações recorrentemente para que a gente sempre mantenha essas atas vigentes, a gente vai licitar novamente essas outras aquisições de seringas”, afirmou.

“Mas, no momento, nós temos uma ata em andamento, uma ata em vigor, com saldos suficientes para serem empenhados e para que a gente possa receber essas seringas e fazer a vacinação agora no início do ano, quando chegarem as vacinas de Covid-19, assim como também em março, quando chegarem as vacinas da Influenza”, completou.

Em nota ao Metrópoles, a Secretaria de Saúde acrescentou, nesta tarde, que “dispõe atualmente de 1,2 milhão de seringas em estoque e há compra efetuada aguardando entrega de mais 2 milhões. Há ainda um processo de compra para mais de 9 milhões de seringas e agulhas”. E reforçou que o DF adotará os critérios de público-alvo do Plano Nacional de Imunização do Ministério da Saúde.

“Para as primeiras fases, a meta é vacinar cerca de 600 mil pessoas. Com o estoque atual é possível realizar a campanha contra a Covid-19 e manter as vacinações de rotina nas unidades de saúde. Considerando as campanhas de vacinação e as vacinas de rotina, são utilizadas aproximadamente 2,8 milhões de seringas e agulhas por ano no DF. O plano estratégico e operacional de vacinação está sendo finalizado e será divulgado nos próximos dias”, concluiu o texto.

Últimas notícias