GDF entrega leitos e anuncia obra no Hospital Materno Infantil de Brasília

Leitos estavam interditados por causa de infiltração no telhado da unidade de saúde da Asa Sul. Reforma resolverá o problema definitivamente

atualizado 07/01/2021 13:13

Vice-governador Paco Britto entrega oito leitos da UTI neonatal do HMIBRafaela Felicciano/Metrópoles

O Governo do Distrito Federal (GDF) entregou, na manhã desta quarta-feira (6/1), cinco leitos de unidade de terapia intensiva neonatal (Utin), no Hospital Materno Infantil de Brasília (Hmib). Também foram instaladas mais 100 cadeiras de acompanhantes na unidade de saúde da Asa Sul.

Segundo o secretário de Saúde, Osnei Okumoto, os leitos estavam interditados devido a uma infiltração no telhado da ala — que conta com oito leitos no total —, ocorrida em dezembro. Os outros três do espaço haviam sido remanejados para outra área durante a reforma e, agora, retornam para o local.

O anúncio ocorre após o Metrópoles ter revelado um documento assinado pela estatal ter indicado que a estrutura do teto da unidade de terapia intensiva neonatal (UTIN) está com “grau de risco crítico”.

Veja imagens da inauguração:
0

 

A infiltração provocou o bloqueio de cinco leitos de UTI neonatal, que estavam desocupados. Apenas dois deles (1 e 5) foram afetados, mas, por precaução, a direção do hospital interditou também os de número 2, 3 e 4. Já os de numeração 6, 7 e 8, que estavam ocupados, foram remanejados, sem que os pacientes tivessem o tratamento interrompido.

Uma comitiva do Governo do Distrito Federal (GDF) esteve no Hmib nessa segunda-feira (4/1) para solucionar o problema e fechou o local por precaução. Após a impermeabilização do telhado, o hospital liberou os leitos nesta quarta.

Segundo o governador em exercício, Paco Britto (Avante), o problema era estrutural. Na última reforma, as telhas que deveriam ter sido colocadas sobrepostas foram apenas encaixadas. Isso ocasionou a infiltração.

“Nós estivemos aqui com a Novacap e o secretário Osnei na segunda-feira e prometemos em 24h voltar (os leitos interditados). Voltou em 48h, porque teve de fazer a desinfecção dos locais, e nós estávamos esperando também as cadeiras, que foram entregues 100, porque esse é um hospital de referência na pediatria”, explicou Paco Britto.

Atualmente, o Hmib dispõe de 40 leitos, sendo 25 de Utin, destinados a recém-nascidos que demandam cuidados especiais. Há casos em que os bebês ficam sob os cuidados dos profissionais de saúde por até quatro meses.

Reforma

A impermeabilização do telhado ficou sob responsabilidade da Novacap. Além da reforma, a Secretaria de Saúde vai lançar uma licitação nos próximos 30 dias para corrigir o problema de forma definitiva. Nesta obra, estão previstas a sobreposição das telhas, o conserto dos vazamentos, a realocação dos pontos de fixação de para-raios, entre outros.

Sobre esta maior reforma, o secretário de Saúde explicou que é necessária uma obra definitiva, e não paliativa. “Esse é um problema na estrutura do prédio desde a sua construção. Durante o passar dos anos, esse bloco foi construído, foram feitas várias reformas, e essas reformas foram, com o passar do tempo, precisando ser refeitas. Dessa forma, a gente quer fazer essa reforma estrutural definitiva, para que a gente não tenha necessidade de, muitas vezes, estar fazendo paliativos”, comentou Okumoto.

“Pelos laudos, que foram emitidos em dezembro, a gente pôde fazer a tomada de preços junto às empresas que estão participando do pleito, para que possam fazer essa reforma definitiva”, completou.

Últimas notícias