Acidente na BR-060: família de motorista nega álcool e velocidade

Uugton Batista da Silva atropelou duas pessoas. Advogado e parentes afirmam que foi um acidente e detenção dele ocorreu de forma ilegal

atualizado 16/12/2019 18:16

Reprodução/Vídeo

Parentes de Uugton Batista da Silva negam que o motorista estivesse embriagado e em alta velocidade no momento em que atropelou Walisson Gomes Ferreira e Adailton Alves Santana, em acidente de trânsito na BR-060. O episódio ocorreu em 10 de dezembro deste ano. As vítimas foram atingidas quando tentavam socorrer feridos de um acidente anterior.

Após o acidente, Uugton foi preso pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), acusado de fugir do local sem prestar socorro. Segundo o sobrinho Gabriel Batista Fernandes, o tio não evadiu — versão diferente da relatada pela corporação em nota enviada à imprensa.

“Meu tio estava indo para Brasília no momento do acidente. Nesse dia, tinha óleo na pista e ele tentou frear o carro, chegou a puxar o freio de mão, mas deslizou”, conta.

De acordo com o parente, o motorista não estava em alta velocidade. “Realmente foi um acidente. Meu tio foi socorrido por uma pessoa que estava no local e levado ao hospital, ele não fugiu. A detenção pela PRF ocorreu no Hospital Regional de Alexânia (GO). A prisão dele foi ilegal porque ele não chegou a fugir nem estava embriagado”, disse.

Uugton Batista da Silva está preso desde então no Presídio de Santo Antônio do Descoberto, em Goiás. Em nota enviada à imprensa, o advogado do motorista, Edemundo Dias, contestou a prisão do cliente.

“Trata-se, portanto, de um lamentável acidente de trânsito. Vamos mostrar que Uugton não possui antecedentes criminais, tem residência fixa, família e ilibada reputação profissional. A prisão de Uugton foi arbitrária e realizada ainda no hospital, sem alta médica, enquanto o paciente recebia os primeiros socorros”, defendeu no texto.

O acidente

Duas pessoas morreram em um grave acidente na BR-060, em Santo Antônio do Descoberto (GO). Entre as quais, um jovem de 22 anos que sonhava em ser policial rodoviário federal.

Walisson foi atropelado quando tentava ajudar vítimas de uma colisão envolvendo três veículos. Ele morava próximo ao local da batida. A informação é da PRF.

Um vídeo que circula pelas redes sociais, gravado por um caminhoneiro, mostra o instante exato no qual Walisson e outro homem, identificado como Adailton Alves Santana, 65 anos, são atropelados ao atravessar a rodovia para dar apoio aos feridos do engavetamento ocorrido no trecho conhecido como Sete Curvas.

As vítimas estavam ao lado do carro envolvido no acidente no momento em que foram atingidas por um automóvel que perdeu o controle na pista molhada, sentido Brasília-Goiânia.

Quatro pessoas, incluindo uma mulher grávida e uma criança, precisaram de socorro do Corpo de Bombeiros do DF (CBMDF). Todas foram levadas para hospitais de Brasília.

Segundo a PRF, em decorrência da pista molhada, três veículos colidiram, ferindo passageiros e motoristas. Walisson e Adailton morreram na hora. Um caminhão também se envolveu na tragédia. O carro que atropelou os dois homens, um Toyota Corolla, foi abandonado no local – e o condutor fugiu. A placa do automóvel é de São Paulo.

De acordo com os bombeiros, a criança que estava em um dos veículos envolvidos no acidente foi levada em estado crítico de helicóptero ao Hospital de Base do Distrito Federal (HBDF).

Últimas notícias