metropoles.com

A reação de Valdemar ao plano para prender Moraes

Parlamentares extremistas filiados a dois partidos pediram apoio de Valdemar ao plano para prender Moraes antes da diplomação de Lula

atualizado

Compartilhar notícia

Breno Esaki/Especial Metrópoles
Valdemar Presidente do PL, Valdemar Costa Neto, com a mão no rosto durante coletiva de imprensa eleições 2022 - Metrópoles
1 de 1 Valdemar Presidente do PL, Valdemar Costa Neto, com a mão no rosto durante coletiva de imprensa eleições 2022 - Metrópoles - Foto: Breno Esaki/Especial Metrópoles

Em dezembro de 2022, quando Lula já havia vencido a eleição, mas não assumido a Presidência, um grupo de parlamentares extremistas filiados a dois partidos políticos pediu a Valdemar Costa Neto que encampasse um plano para prender Alexandre de Moraes.

A prisão, argumentaram, faria parte de uma intervenção no Tribunal Superior Eleitoral, presidido por Moraes e que, na avaliação do grupo, teria desequilibrado a eleição a favor de Lula.

0

Valdemar não abraçou o plano. Aos extremistas alegou que a medida não encontraria respaldo na classe política nem na jurídica.

Aos seus aliados mais próximos, que o acompanham desde antes do ingresso de Bolsonaro no partido, chamou os extremistas de “loucos” e “lunáticos”.

Como mostrou a coluna ainda em dezembro de 2022, Valdemar resistiu até mesmo a medidas mais brandas solicitadas por bolsonaristas. Não cedeu, por exemplo, a um pedido do próprio Bolsonaro para contestar judicialmente a diplomação de Lula, após a cerimônia no Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Compartilhar notícia

Quais assuntos você deseja receber?

sino

Parece que seu browser não está permitindo notificações. Siga os passos a baixo para habilitá-las:

1.

sino

Mais opções no Google Chrome

2.

sino

Configurações

3.

Configurações do site

4.

sino

Notificações

5.

sino

Os sites podem pedir para enviar notificações

metropoles.comPaulo Cappelli

Você quer ficar por dentro da coluna Paulo Cappelli e receber notificações em tempo real?

Notificações