Com Bruna Lima, Edoardo Ghirotto, Eduardo Barretto e Lucas Marchesini

PT continua com dificuldades para encontrar líderes evangélicos

Lula não tem conseguido agendar reuniões com as lideranças das principais denominações evangélicas do país

atualizado 15/10/2021 21:25

Luiz Inácio Lula da SilvaRafaela Felicciano/Metrópoles

O núcleo petista que participa da construção da candidatura de Lula à Presidência continua com dificuldades para marcar encontros com as principais lideranças evangélicas do país.

O entendimento entre os petistas mais próximos a Lula é de que as reuniões com representantes evangélicos só serão possíveis com a ajuda de aliados regionais.

Foi assim que Lula conseguiu se encontrar com Manoel Ferreira, o bispo primaz da Assembleia de Deus. O deputado estadual André Ceciliano (PT), presidente da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), teve papel importante na retomada dos contatos entre ambos. Ferreira, no entanto, continua próximo ao governo de Jair Bolsonaro.

O mesmo ocorreu na Bahia, quando Lula posou para fotos com o Pastor Sargento Isidório, deputado federal com maior votação no estado em 2018. Isidório é aliado do governador Rui Costa (PT) e foi ao encontro do ex-presidente com o intuito de obter apoio para se reeleger.

O PT possui um núcleo de trabalho com evangélicos que é liderado pela deputada Benedita da Silva (RJ) e que conta com a participação do ex-ministro Gilberto Carvalho, próximo à Igreja Católica. Mas os apoios obtidos até aqui estão limitados aos setores que se identificam como progressistas e que são minoritários frente às principais denominações em atividade no país.

Já leu todas as notas e reportagens da coluna hoje? Clique aqui.

Mais lidas
Siga as redes do Guilherme Amado
Últimas da coluna