Com Bruna Lima, Edoardo Ghirotto, Eduardo Barretto e Naomi Matsui

A explicação do PT para o “não” de Gilberto Kassab a Lula

Partido atribui a decisão de Kassab à bolsonarização do PSD 

atualizado 12/10/2021 20:00

Fernando Haddad, Lula da Silva, Gilberto Kassab e Gleisi Hoffmann, durante encontro em BrasíliaFoto: Ricardo Stuckert

A direção do PT arrumou uma justificativa para o “não” que Lula recebeu de Gilberto Kassab ao propor uma aliança em nível nacional para a eleição de 2022. Segundo o partido, Kassab foi obrigado a rejeitar o convite porque o PSD está sob forte influência do bolsonarismo.

Na visão dos petistas, é ingênuo pensar que as bases do PSD são representadas por nomes críticos a Bolsonaro, como o deputado Fábio Trad, os senadores Omar Aziz e Otto Alencar e o prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil.

Muitos dos parlamentares do PSD têm sido beneficiados pelas emendas de relator do orçamento paralelo, o que os atrai para a base do governo no Congresso.

Kassab, ainda segundo dirigentes do PT, precisa defender uma candidatura própria à Presidência para o PSD não ser levado por osmose para a órbita de Bolsonaro em 2022. Após a conversa com Lula, a avaliação que ficou é que o ex-ministro teria problemas para eleger bancadas numerosas na Câmara e no Senado se entrasse no projeto do PT.

Siga as redes do Guilherme Amado
Últimas da coluna