Com Bruna Lima, Edoardo Ghirotto, Eduardo Barretto e Lucas Marchesini

Indicação de André Mendonça ao STF completa 100 dias

Tempo de espera de indicado por Jair Bolsonaro é recorde; senador se recusa a marcar sabatina em comissão

atualizado 21/10/2021 9:39

André Mendonça e Jair BolsonaroIgo Estrela /Metrópoles

Nesta quinta-feira (20/10), completam-se cem dias que Jair Bolsonaro indicou André Mendonça para uma cadeira no STF. Mendonça segue sem previsão de ser sabatinado pelos senadores e enfrenta um tempo recorde de espera, em comparação à atual composição do Supremo.

Presidente da Comissão de Constituição e Justiça, o senador Davi Alcolumbre tem se recusado a marcar a sabatina de Mendonça. No último dia 11, o STF arquivou uma ação que tentava forçar Alcolumbre a pautar a sabatina. Depois do aval da comissão, o indicado ao tribunal ainda precisa obter o endosso do plenário da Casa.

A espera de Mendonça é muito maior do que enfrentaram os dez atuais ministros da corte. Rosa Weber foi quem mais aguardou para ser aprovada pelo Senado, em 2011, no governo Dilma Rousseff: 35 dias. Os ministros Luiz Fux, na gestão Dilma, e Ricardo Lewandowski, na gestão Lula, levaram apenas uma semana entre a indicação do Planalto e a anuência do Senado.

Já leu todas as notas e reportagens da coluna hoje? Clique aqui.

Siga a coluna no Twitter e no Instagram para não perder nada.

Mais lidas
Siga as redes do Guilherme Amado
Últimas da coluna