Com Bruna Lima, Edoardo Ghirotto, Eduardo Barretto e Naomi Matsui

Cozimento de André Mendonça ajuda Bolsonaro a conter Aras em momento-chave da CPI

Após receber o relatório final da CPI, Augusto Aras terá 30 dias para informar ao Senado que providências tomará

atualizado 14/10/2021 9:48

Jair Bolsonaro e Augusto ArasAgência Estado

Jair Bolsonaro tem, publicamente, esbravejado contra Davi Alcolumbre por ainda não ter marcado a sabatina de André Mendonça, mas ministros têm lembrado ao presidente que o cozimento do ex-AGU por mais algumas semanas pode ser crucial para o próprio Bolsonaro.

A lei determina que Augusto Aras tem 30 dias, após receber o relatório final da CPI, para informar ao Senado que providências tomará ou qual é a razão para nada fazer.

Como Aras ainda acredita que pode ser o indicado num eventual naufrágio de André Mendonça (tem dito inclusive que Bolsonaro lhe teria prometido isso recentemente), manter em suspenso a indicação de Mendonça por mais algumas semanas pode ser importante para manter a expectativa de Aras, mantê-lo como um aliado e, assim, mais uma vez contar com a benevolência do PGR.

Já leu todas as notas e reportagens da coluna hoje? Clique aqui.

Siga as redes do Guilherme Amado
Últimas da coluna