Com Bruna Lima, Edoardo Ghirotto, Eduardo Barretto e Naomi Matsui

Em relatório alternativo, Vieira pedirá indiciamento de Bolsonaro, Pazuello e Braga Netto

Ex-chefe da Polícia Civil, senador fará texto mais objetivo, de até cem páginas; relatório de Renan Calheiros deve passar das mil

atualizado 11/10/2021 18:58

O ministro da Casa Civil, Braga Netto, o presidente Jair Bolsonaro e o ministro da Saúde, Eduardo PazuelloMarcelo Camargo/Agência Brasil

Em seu relatório alternativo da CPI da Pandemia, o senador Alessandro Vieira, do Cidadania de Sergipe, pedirá o indiciamento de Jair Bolsonaro e dos generais Eduardo Pazuello, ex-ministro da Saúde, e Walter Braga Netto, ministro da Defesa e ex-ministro da Casa Civil. Vieira pretende fazer um relatório sucinto, que será enviado ao colegiado nesta semana. Na próxima, o relator, Renan Calheiros, lerá seu relatório final.

Para Vieira, ex-comandante da Polícia Civil de Sergipe, figuras de comando da pandemia no governo federal, como Bolsonaro, Pazuello e Braga Netto, cometeram crimes e merecem ser indiciadas. Contudo, o senador não concorda com Renan que o presidente tenha cometido o crime de genocídio.

Os filhos de Bolsonaro não serão citados no texto de Vieira, ao contrário do relatório de Renan. Para Vieira, essa tarefa caberá à CPMI das Fake News, que retomará os trabalhos após o fim da CPI da Covid.

Vieira considera que o documento final da CPI deve ter um foco claro e mencionar crimes que tenham mais provas. A expectativa na comissão é que o texto de Renan apresente outro perfil: seja amplo e mire em muitos alvos. Enquanto Vieira escreverá até cem páginas, Renan deve passar das mil.

Já leu todas as notas e reportagens da coluna hoje? Clique aqui.

Siga as redes do Guilherme Amado
Últimas da coluna