Com Bruna Lima, Edoardo Ghirotto, Eduardo Barretto e Lucas Marchesini

Conitec não autorizou nenhum remédio anti-Covid aprovado pela Anvisa

Por outro lado, órgão consultivo do ministério tem discutido kit covid, medicamentos ineficazes contra a Covid

atualizado 23/10/2021 10:08

cloroquinaDivulgação/Ministério da Defesa

A Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no Sistema Único de Saúde (Conitec), órgão consultivo do Ministério da Saúde, ainda não autorizou nenhum dos seis medicamentos contra a Covid que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou. Enquanto isso, o colegiado tem dado atenção ao kit covid, composto de remédios comprovadamente ineficazes contra a doença.

Na última quinta-feira (21/10), deu empate a votação da Conitec sobre o kit covid: seis votos a seis. Dos seis contrários, cinco foram de representantes do Ministério da Saúde e um do Conselho Federal de Medicina, alvo da CPI da Pandemia. Depois de uma audiência pública, o tema voltará ao Conitec.

Mesmo após ter sido acusado de crimes contra a humanidade pela CPI, Jair Bolsonaro segue defendendo remédios ineficazes contra a Covid, a exemplo da cloroquina, e criticando a vacinação.

A Anvisa já aprovou seis medicamentos para combater a Covid. O primeiro foi o Remdesevir, em março deste ano, com a concessão do registro do remédio que já é usado nos Estados Unidos, União Europeia e Japão. Em abril, maio, agosto e setembro, a agência referendou o uso emergencial, respectivamente, de Casirivimabe + Indevimabe; Balanivimabe + Etesevimabe; Regkironna (Regdanvimabe); e Sotrovimabe. Por fim, o Baricitinibe teve uso recomendado no mês passado.

Nenhum desses medicamentos recebeu o aval do Conitec. Os três primeiros foram rejeitados, ao passo que os outros três estão sendo monitorados. O conselho é estratégico: assessora o Ministério da Saúde sobre tratamentos usados pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

Procurado, o Conitec não respondeu por que rejeitou ou não levou a julgamento os medicamentos aprovados pela Anvisa.

Já leu todas as notas e reportagens da coluna hoje? Clique aqui.

Siga a coluna no Twitter e no Instagram para não perder nada.

Siga as redes do Guilherme Amado
Últimas da coluna
Mais lidas