Com Bruna Lima, Edoardo Ghirotto, Eduardo Barretto e Natália Portinari

Cláudio Castro é citado em nova delação e Justiça envia caso ao STJ

Delação detalha participação de Cláudio Castro em organização criminosa no governo do estado; Conteúdo será analisado pelo STJ

atualizado 14/09/2022 17:01

Claudio Castro Governador do Rio 3 Metrópoles/ Aline Massuca

O governador Cláudio Castro, do Rio de Janeiro, candidato à reeleição pelo PL, foi citado em uma delação premiada firmada por um ex-assessor dele, o empresário Marcus Vinicius Azevedo da Silva. O delator citou Castro em um depoimento ao Ministério Público do estado, em um contexto criminal, cujos detalhes seguem em sigilo. A pedido do MPRJ, a 26ª Vara Criminal da Capital enviou no último 3 de agosto o material para o Superior Tribunal de Justiça.

A delação foi negociada em 2020 com o Ministério Público Federal e homologada pelo STF, por envolver deputados federais, cujo foro é no Supremo. A citação a Castro foi posterior à homologação, em um depoimento ao Ministério Público do Rio de Janeiro.

“Ao prestar novas declarações, o colaborador Marcus Vinicius mencionou e detalhou a participação do atual governador do Estado do Rio de Janeiro, Cláudio Bomfim de Castro e Silva, além de outros agentes com prerrogativa de foro, na organização criminosa objeto da denúncia”, aponta o documento do MP obtido pela coluna.

A delação de Marcus Vinícius deve ser juntada com a de Bruno Selem, ex-funcionário da Servlog, empresa que tinha contratos milionários com o governo fluminense. Selem acusou o governador de ter recebido R$ 100 mil em propina em 2019, quando ainda era vereador.

Marcus Vinicius trabalhou para Castro no período em que o político era vereador, antes de disputar a eleição em 2018. Sócio da empresa RioMix, que também tinha contratos milionários com o governo estadual, Marcus Vinicius foi preso em julho de 2019 por fraudes contratuais na Fundação Leão XIII.

O conteúdo das delações, contudo, não deve ser analisado até o fim das eleições. Um dos impasses é essa discussão de competência, exatamente o ponto sobre que o MP pediu que o STJ delibere. O tribunal não vem fazendo muito esforço para pautar o caso, alegando que, se Castro perder as eleições, o processo voltará para a Justiça estadual.

Marcus Vinicius foi preso em julho de 2019, na primeira fase da Operação Catarata, do MPRJ, que apurou suspeitas de desvio de dinheiro na Secretaria Municipal de Envelhecimento Saudável e Qualidade de Vida, na Secretaria Municipal de Proteção à Pessoa com Deficiência e na Fundação Estadual Leão XIII. Esta última era subordinada a Cláudio Castro, então vice-governador.

A assessoria de Cláudio Castro disse em nota à coluna que o governador não foi notificado pela Justiça e que não irá comentar as investigações. Castro disse também, pela sua assessoria, que “confia na Justiça e aguarda que os fatos sejam esclarecidos o mais rápido possível”.

Publicidade do parceiro Metrópoles 1
Publicidade do parceiro Metrópoles 2
Publicidade do parceiro Metrópoles 3
Publicidade do parceiro Metrópoles 4
0

Mais lidas
Siga as redes do Guilherme Amado
Últimas da coluna