Com Bruna Lima, Edoardo Ghirotto, Eduardo Barretto e Naomi Matsui

Bolsonaro há um mês em silêncio sobre “rolo da vacina” de líder do governo

CPI enviou carta há duas semanas alertando para “execração” de Ricardo Barros

atualizado 20/07/2021 22:47

Presidente Jair Bolsonaro fala com a imprensa após o encontro com presidente do STF Luiz Fux 3Igo Estrela/Metrópoles

Jair Bolsonaro está há um mês sem desmentir o deputado Luis Miranda, que afirmou na CPI da Pandemia que o líder do governo na Câmara, Ricardo Barros, estava “no rolo“ da compra da vacina indiana Covaxin.

Se o presidente não desejava vir a público tentar isentar o líder do governo, teve uma chance há duas semanas, quando recebeu em seu gabinete uma carta da comissão com pedidos de explicações. No mesmo dia, disse em uma live, entre palavrões, que não responderia aos senadores.

O silêncio de Bolsonaro por tanto tempo, disse o documento, “contribui para a execração” de Barros, em uma situação “perturbadora”. A cúpula da CPI pediu até que o presidente se inspirasse no salmo que repetia em sua campanha ao Planalto: “Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará”.

Siga as redes do Guilherme Amado
Últimas da coluna