Com Bruna Lima, Edoardo Ghirotto, Eduardo Barretto e Lucas Marchesini

Acusada pela CPI, Nise Yamaguchi se aproxima de partidos e mira 2022

Médica Nise Yamaguchi mantém conversas com o PMN; CPI da Pandemia apontou crime de epidemia com resultado morte

atualizado 29/11/2021 15:24

Nise YamaguchiRafaela Felicciano/Metrópoles

A médica Nise Yamaguchi avalia se candidatar em 2022 e tem se aproximado de partidos políticos. Recentemente, Yamaguchi intensificou as conversas com o PMN. A médica bolsonarista foi acusada formalmente pela CPI da Pandemia de ter cometido o crime de epidemia com resultado morte.

Desde a CPI, que durou de abril a outubro, Yamaguchi tem sido sondada por partidos políticos com vistas a 2022. Um deles é o PTB, que também iniciou negociações com Mayra Pinheiro, secretária do Ministério da Saúde conhecida como “Capitã Cloroquina”.

Nos últimos dias, Yamaguchi tem conversado com o PMN, sigla que vem reunindo bolsonaristas como o blogueiro Oswaldo Eustáquio e busca abrigar Abraham Weintraub, ex-ministro da Educação, na corrida ao governo de São Paulo.

A médica é suspeita de integrar um gabinete paralelo do governo Bolsonaro durante a pandemia. Além de ter pedido o indiciamento de Yamaguchi pelo crime de epidemia com resultado morte, com pena de prisão de até 30 anos, a CPI da Pandemia defendeu em seu relatório final que a médica seja investigada por outros dois crimes: dano à saúde pública e dano moral coletivo à sociedade brasileira.

Já leu todas as notas e reportagens da coluna hoje? Clique aqui.

Siga a coluna no Twitter e no Instagram para não perder nada.

Mais lidas
Siga as redes do Guilherme Amado
Últimas da coluna