Com Bruna Lima, Edoardo Ghirotto, Eduardo Barretto e Paulo Cappelli

YouTube apaga entrevista de médica investigada na CPI à TV Brasil

Suspeita de integrar gabinete paralelo de Bolsonaro, médica recomendou medicamentos ineficazes no canal da estatal

atualizado 23/09/2021 17:07

Nise YamaguchiReprodução/TV Brasil

O YouTube apagou uma entrevista da médica Nise Yamaguchi à TV Brasil, da estatal Empresa Brasil de Comunicação (EBC), em que a médica recomendou medicamentos ineficazes contra a Covid no ano passado. Investigada pela CPI da Pandemia, Yamaguchi é suspeita de integrar um gabinete paralelo do governo Bolsonaro na pandemia.

Ao contrário do publicado anteriormente, o vídeo não foi apagado pela EBC. O YouTube considerou que o conteúdo da entrevista era “inadequado”.

A entrevista foi transmitida em julho do ano passado. Disse a médica, citando tratamentos que já eram sabidamente ineficazes contra a doença:

“Você pode usar na primeira fase hidroxicloroquina ou ivermectina, ou os dois, com azitromicina e zinco. Porque essa composição é a melhor coisa”, acrescentando: “O tratamento é de cinco dias, de hidroxicloroquina”.

Em outro trecho, Yamaguchi mencionou o nazismo para criticar o medo da Covid, que até agora matou 592 mil brasileiros.

“Você acha que alguns poucos militares nazistas conseguiriam controlar aquela massa de rebanho de judeus famintos se não submetessem diariamente a humilhações, humilhações e humilhações, tirando deles todas as iniciativas?”.

(Correção, às 17h07 de 23 de setembro de 2021: A entrevista foi excluída pelo YouTube, e não pela EBC, como informado anteriormente. A nota foi corrigida para efeitos de clareza da informação.)

Já leu todas as notas e reportagens da coluna hoje? Clique aqui.

Mais lidas
Siga as redes do Guilherme Amado
Últimas da coluna