Funcionários da Globo são orientados a não beber água. Entenda

Segundo a colunista Fábia Oliveira, emissora tem distribuído copos de água fechados em alguns setores das instalações em Curicica

atualizado 10/01/2020 10:34

Reprodução/Globo

Uma água diferentona, barrenta, com gosto e cheiro, tomou conta das torneiras nas zonas Oeste e Norte do Rio de Janeiro. Agora, a crise atingiu até os Estúdios Globo, em Curicica. As informações são da colunista Fábia Oliveira, do jornal O Dia.

Por lá, a água até está com cor normal, mas é possível sentir um gostinho diferente. Por conta do problema, a emissora orientou os funcionários a não beber água dos filtros, principalmente no MG4, conjunto de três novos estúdios da Rede Globo.

Fábia Oliveira disse ainda que copos de água fechados são distribuídos aos profissionais.

Água estranha

Moradores continuam a reclamar sobre a qualidade da água fornecida pela Companhia Estadual de Águas e Esgotos do Rio (Cedae). Há relatos de que o líquido seguia com cheiro e gosto, mesmo após testes realizados pela Vigilância Sanitária, que liberou o uso do produto fornecido pela companhia.

Desde o fim de dezembro, as unidades de pronto atendimento (UPA) de Santa Cruz e de Campo Grande, na Zona Oeste, tem registrado centenas de casos de diarreia, gastroenterite e vômitos de origem infecciosa ou não.

A título de comparação, as direções dessas unidades informaram que entre 20 de dezembro de 2018 e 5 de Janeiro do ano passado foram 282 e 378 casos, respectivamente. Ou seja: os números mais que dobraram. As suspeitas recaem sobre a ingestão de água contaminada.

Porém, em nota, a Secretaria Estadual de Saúde faz uma ressalva: “É precoce associar o aumento na procura de pacientes com estes sintomas à água contaminada, principalmente após as festas de fim de ano”. Por sua vez, a Secretaria Municipal de Saúde diz que “diarreia e vômito são sintomas e não doenças”.

Últimas notícias