Musculação pode ajudar no tratamento de ansiedade e depressão

Exercícios promovem melhora no humor, já que há associação de substâncias que geram prazer no corpo

iStock

atualizado 16/12/2019 15:44

Depressão e ansiedade são condições psiquiátricas muito comuns no cenário atual, afetando milhões de indivíduos. O exercício físico tem demonstrado capacidade de induzir amplas adaptações neurobiológicas. Estudos de imagem mostram mudanças estruturais (no hipocampo e em outras regiões do cérebro) associadas à depressão.

Outro benefício gerado a partir dos exercícios é a melhora no humor, já que há associação de substâncias que geram prazer no corpo. A atividade física é útil ao tratamento inicial para depressão (leve ou moderada) e também apresenta redução dos sintomas depressivos quando aliada a medicamentos.

A prática regular de exercícios físicos tem sido associada ao controle dos níveis de ansiedade, entretanto, a maioria dos estudos se concentra apenas no treinamento aeróbico.

Pesquisa publicada em 2014 no Frontiers in Psychology fez uma revisão de diversos estudos relacionados à prática de musculação e aos níveis de ansiedade. Os pesquisadores descobriram, por exemplo, que uma única sessão de musculação já é capaz de promover mudanças positivas e que a musculação reduz/controla os níveis de ansiedade em longo prazo.

Quanto à intensidade do treino de musculação, parecem ter melhores resultados treinos de intensidade moderada/baixa (<70% de 1RM). Isso seria, aproximadamente, realizar de 10 a 12 repetições por série. Além disso, os treinos que tiveram os melhores resultados foram os de curta/média duração (entre 20 minutos e 40 minutos por sessão).

A musculação pode ter um papel importante no controle da ansiedade humana, reduzindo ou eliminando, inclusive, o uso de remédios ansiolíticos. Ou seja: vamos levantar pesos e ter mais saúde!

Últimas notícias