Escolhas na gestação interferem na preferência alimentar da criança

Estudos já demonstraram que a genética pode influenciar o gosto alimentar das pessoas

UnsplashUnsplash

atualizado 19/08/2019 15:16

Você é dessas mães que está sempre tentando fazer o seu filho comer salada? Tenta de tudo para que ele experimente uma fruta de vez em quando? Fica preocupada por que ele só quer comer fast-food, salgadinho, sorvete e doce?

Estudos já demonstraram que a genética pode influenciar o gosto alimentar das pessoas, como predileção pelos sabores doces ou azedos e por carboidratos.

Porém, pesquisas mais recentes publicadas em uma das maiores revistas científicas mundiais, a Science, mostraram que muito mais importante do que a genética é a influência intrauterina durante a gestação na preferência alimentar.

Ou seja, se você, mãe, se alimentava mal durante a gestação, optando por alimentos como pizza, coxinha e produtos industrializados, provavelmente seu filho vai nascer com essas preferências e manifestá-las na infância também.

Por isso, é importante entender que a prevenção de doenças começa muito cedo, e cuidar da saúde antes e durante a gravidez é extremamente importante para o futuro dos filhos.

A responsabilidade nessa fase é exclusiva da mãe, já que a criança não tem poder de escolha.

Seja responsável com a sua saúde e a do seu filho. Busque ajuda de um nutricionista.

SOBRE O AUTOR
Rebeca Oliveira

É formada em comunicação social e pós-graduada em jornalismo digital e produção multimídia pelo Centro Universitário Iesb. Possui cursos nas áreas de jornalismo de moda pela Escola de Negócios da Moda (EnModa) e de fotografia pela Universidade de Brasília (UnB). Atuou como repórter de cultura e gastronomia no Correio Braziliense e de comportamento nas revistas Encontro Brasília e Encontro Gastrô. Como freelancer, colaborou com portais como o HuffPost Brasil. Durante dois anos, foi editora-chefe do site e redes sociais do GPS|Lifetime.

Últimas notícias