Vigilante penitenciário e mulher são mortos perto de presídio em Goiás

Duplo homicídio foi praticado, na manhã desta quinta, na região do Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia, região metropolitana

atualizado 18/02/2021 13:39

Morte presídio

Goiânia – Um vigilante penitenciário temporário e a mulher dele foram executados a tiros, na manhã desta quinta-feira (18/2), no setor Vale do Sol, próximo ao Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia, na região metropolitana.

De acordo com informações preliminares, Elias de Souza Silva, de 38 anos, teria acabado de sair do plantão de 24 horas e encontrado a esposa, de identidade não revelada, na saída do trabalho.

0

O casal passava de carro por uma rotatória, segundo a Polícia Militar, no momento em que foi abordado por criminosos dentro de outro veículo, possivelmente um Renault Sandero, de cor prata, que se aproximou, ainda em movimento. O passageiro teria efetuado os disparos.

As vítimas morreram imediatamente. O carro ficou desgovernado e bateu em outro veículo que passava no local.

Equipes da polícia fizeram perícia, e os corpos foram levados pelo Instituto Médico Legal (IML).

“Tudo indica execução”

O secretário de Segurança Pública de Goiás, Rodney Miranda, se dirigiu até o local do crime em seguida. “Estamos trabalhando [na investigação]. Tudo indica que foi execução, mas não sabemos ainda nem a motivação”, afirmou.

De acordo com ele, as equipes de investigação da Delegacia de Homicídios de Aparecida de Goiânia receberam ordem do governador Ronaldo Caiado (DEM) para elucidarem os assassinatos do vigilante penitenciário e da mulher dele o mais rápido possível.

“A determinação do governador é de que, enquanto não tiver uma solução, a gente não vai parar de trabalhar [na investigação]”, disse Miranda.

Segundo o secretário, a ordem é resolver o quanto antes e apresentar os autores do crime à sociedade e à Justiça. “Temos várias linhas de investigação, algumas mais fortes, mas não podemos adiantar nada ainda. O que posso garantir é que vamos chegar [aos criminosos]”.

Em nota, a Polícia Penal do Estado de Goiás informou que “acompanha o trabalho policial diante do ocorrido e registra os sinceros sentimentos de consternação aos familiares.”

Últimas notícias