Vídeo mostra cliente de bar em Goiás sendo agredido por homem armado

Homem deu chutes e bateu com arma em rosto de cliente de bar em Santa Terezinha de Goiás na madrugada deste domingo (25)

atualizado 25/07/2021 15:58

goias pm agride homem em barReprodução

Goiânia – Um homem armado foi flagrado ao agredir um homem na madrugada deste domingo (25/7) em um bar, no município de Santa Terezinha de Goiás, a cerca de 290 km da capital goiana. As imagens mostram o homem armado dando chutes na vítima, que estava com as mãos para cima.

Veja o vídeo:

No vídeo é possível perceber que além dos chutes, o homem também dá coronhadas na vítima, que consegue desviar, mas acaba atingido.

Ao portal Mais Goiás, uma testemunha que preferiu não se identificar, disse que a briga começou após o homem com a arma acusar o outro cliente do bar de “dar em cima” da namorada dele. “Ele começou dando empurrão contra o homem. Logo depois, sacou a arma e falou que ia atirar. A partir daí começou a dar coronhadas”, contou.

Segundo uma testemunha, o agressor seria um policial militar. O Metrópoles entrou em contato com a assessoria de imprensa da PMGO e até o fechamento deste texto não houve retorno. O espaço segue aberto.

Polêmica

Na quarta-feira (21/7), o advogado Orcélio Ferreira Silvério Júnior foi agredido por policiais do Grupamento de Intervenção Rápida Ostensiva (Giro) – braço do Batalhão de Choque da Polícia Militar de Goiás – , nas imediações do terminal Praça da Bíblia, região leste da capital goiana.

O jurista levou uma série de tapas, socos e foi arrastado pelo chão, mesmo estando algemado com as mãos para trás, após tentar interceder por um homem em situação de rua, que também foi agredido pelos agentes.

A vítima reclamou que também sofreu agressão no pátio da delegacia da Polícia Civil e na triagem. Além disso, afirmou ter pedido ajuda a uma agente que, segundo o advogado, agiu com negligência. “Teve uma policial que não quis se identificar, que foi negligente e omissiva, no momento em que pedi socorro e estava sendo torturado.”

O caso ganhou repercussão nacional com repúdio de entidades que pediram providências em relação a agressão.

O presidente da OAB-DF, Délio Lins e Silva Júnior, emitiu uma nota na qual disse considerar a agressão “brutal e covarde, um verdadeiro ataque”. “É inaceitável que policiais tenham esse comportamento. Assim, vimos exigir, como cidadãos brasileiros e advogados, providências imediatas da Secretaria de Segurança Pública e do governador Ronaldo Caiado”, prossegue a nota.

Também por meio de nota, a PM-GO informou ter afastado o policial militar das atividades operacionais e instaurado procedimento administrativo disciplinar para apurar os fatos, assim que tomou conhecimento das imagens publicadas.

Abordagens policiais

No último domingo (18/7), dois adolescentes denunciaram que foram vítimas de uma interpelação violenta de policiais militares e acreditam que tenham sido vítimas de racismo, pois são negros e levaram tapas no rosto, enquanto outro rapaz do grupo, branco, não apanhou. O caso ocorreu em Aruanã, cidade turística na região oeste do estado, às margens do Rio Araguaia.

Dias antes, uma haitiana sofreu uma abordagem violenta no município de Anápolis, a cerca de 55 km de distância da capital goiana. Câmeras de segurança flagraram o momento em que a mulher leva um golpe no pescoço, mais conhecido como mata-leão, de um policial militar.

Neste caso, a corporação teria sido chamada ao local por vizinhos da mulher, que alegaram que o som estava muito alto e causava perturbação. Com a chegada da Polícia Militar, os vizinhos teriam agredido verbalmente a lojista e a chamado de “preta imunda”. Contudo, o dono do local onde a mulher reside afirma que tudo é implicância.

Youtuber negro

O ciclista Filipe Ferreira, de 29 anos, anunciou em seu canal no YouTube, no final do mês de junho, que decidiu se mudar de cidade depois de se sentir intimidado por policiais militares. Ele foi vítima de uma abordagem policial constrangedora na manhã de 28/5 deste ano em uma praça de Cidade Ocidental, Entorno do Distrito Federal, e denunciou o caso nas redes sociais.

No dia da ocorrência, Filipe realizava manobras radicais de bicicleta em uma praça, quando foi abordado por dois militares. Vídeo feito pelo próprio youtuber mostra que um dos policiais aponta a arma para ele e outro o algema por “não obedecer ordem legal”, depois que o jovem questionou o motivo da abordagem.

Ainda na filmagem, o policial diz enquanto aponta a arma para Filipe: “Resiste aí para você ver o que vai acontecer contigo”. O vídeo teve muita repercussão nas redes sociais e foi compartilhado por influenciadores digitais, políticos e celebridades. A acusação contra o jovem negro foi arquivada.

“O negócio ficou bem mais apertado, porque tive que mudar de cidade. Minha mãe teve que mudar de cidade, tivemos que sair correndo, abandonar tudo. Mas é isso mesmo, eu não vou me calar. Vou com isso até o fim”, declara Filipe no último vídeo.

A Justiça rejeitou denúncia do MPGO contra os dois policiais militares no caso.

Últimas notícias