Vacinas da Janssen seguem sem previsão de chegada ao Brasil

Na segunda-feira (14/6), laboratório cancelou o envio das vacinas ao país por problemas logísticos. Ministério da Saúde aguarda confirmação

atualizado 16/06/2021 10:21

Retomada da vacinação professoresArthur Menescal/Especial Metrópoles

Os três milhões de doses de vacinas da Janssen que seriam enviadas ao país na terça-feira (15/6) seguem sem data prevista de chegada. Na segunda-feira (14/6), o laboratório cancelou o envio das vacinas ao Brasil por problemas logísticos.

Na manhã desta quarta-feira (16/6), o secretário-executivo do Ministério da Saúde, Rodrigo Cruz, informou que a pasta ainda aguarda confirmação da empresa para o envio do imunizante. As doses devem pousar no Aeroporto de Guarulhos, em São Paulo.

Mesmo sem uma sinalização do laboratório, a expectativa do ministério é a de que os fármacos cheguem até o fim desta semana. A reportagem procurou a Janssen para tratar sobre o assunto, mas não obteve retorno até a publicação deste texto. O espaço segue aberto.

A chegada dos imunizantes nesta semana era preocupação de alguns gestores estaduais, tendo em vista que o prazo de validade das vacinas termina no dia 27 de junho. Na segunda-feira, no entanto, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou a ampliação da vigência.

Agora, os imunizantes podem ser utilizados em um período de até quatro meses e meio, em temperatura entre 2ºC  e 8ºC. O prazo anterior era de três meses. O pedido de ampliação foi feito em 10 de junho, e a vacina está aprovada para uso emergencial desde 31 de março.

Para a decisão, a Anvisa considerou os estudos de qualidade apresentados pela empresa e a determinação do FDA (órgão equivalente à agência nos Estados Unidos) sobre o assunto. Meiruze Freitas, diretora relatora do pedido, afirma que a aprovação permite ampliação imediata do acesso ao imunizante.

0

Aplicação

Na segunda-feira, o ministro Marcelo Queiroga afirmou que, mesmo sem a ampliação do prazo, as vacinas seriam aplicadas até a data-limite.

“Será rapidamente aplicada, porque nossa capacidade de vacinar é muito boa, e não vai haver perda dessas vacinas. Todas as questões são pactuadas na tripartite”, afirmou o titular do órgão federal.

A vacina da Janssen é eficaz contra a Covid-19 com apenas uma aplicação. Portanto, três milhões de doses equivalem a três milhões de pessoas protegidas. O país tem contrato firmado com a farmacêutica para o fornecimento de 38 milhões de unidades do fármaco.

As doses estavam previstas para o fim do ano, mas parte das entregas foi adiantada e chega ao país nesta semana.

No sábado (12/6), Queiroga anunciou que a farmacêutica reduziu em 25% o valor do contrato de 38 milhões de doses. Com a mudança, o governo federal economizou aproximadamente R$ 480 milhões do investimento inicial, que era de R$ 2,07 bilhões. O custo de cada dose da vacina será de US$ 10.

Últimas notícias