Covas acaba com gratuidade de passagens para idosos entre 60 e 64 anos

Decisão foi tomada em conjunto com o governador João Doria e vale, também, para ônibus intermunicipais da Grande São Paulo

atualizado 23/12/2020 22:36

Bruno Covas e João Doria anunciam renovação da F1 em Interlagos até 2025Fábio Vieira/Especial Metrópoles

Em São Paulo, idosos com idades entre de 60 e 64 anos não poderão mais viajar de forma gratuita no sistema de transporte público da capital. A decisão foi tomada pelo governador João Doria (PSDB-SP) e pelo prefeito reeleito Bruno Covas (PSDB-SP).

O fim da gratuidade também vale para ônibus intermunicipais da Grande São Paulo. A decisão passa a valer já a partir de 1º de janeiro de 2021. Só quem tiver a partir de 65 anos seguirá usufruindo do benefício.

Sob justificativa de redução de custos com o transporte público da capital, Covas apresentou o pedido de extinção do benefício na Câmara Municipal, que foi aprovado pelos vereadores. O texto já foi sancionado nesta quarta-feira (23/12).

A previsão é de que a medida reduza 7,4% nos custos da Secretaria Municipal de Mobilidade e Transportes. Na prática, significaria uma economia de R$ 200 milhões aos cofres públicos da capital. Atualmente, a pasta gasta R$ 3,4 bilhões com o sistema de transporte.

Em 2013, o então prefeito da capital Fernando Haddad (PT-SP) e o ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB-PT), também em decisão conjunta, diminuíram a idade mínima de concessão de gratuidade de passagem para os passageiros com idades acima de 60 anos.

0

Últimas notícias