Sobrevivente do Holocausto, escritor Eddie Jaku morre aos 101 anos

Jaku é autor do livro de memórias O Homem Mais Feliz do Mundo, lançado em abril de 2020, meses após seu aniversário de 100 anos de idade

atualizado 12/10/2021 12:16

Eddie JakuSydney Jewish Museum/Reprodução

Morreu, nesta terça-feira (12/10), o escritor Eddie Jaku, aos 101 anos de idade, na Austrália. Jaku nasceu na Alemanha, em 1920, e ganhou popularidade após relatar sua história de vida como sobrevivente do Holocausto.

Jaku é autor do livro de memórias O Homem Mais Feliz do Mundo, lançado em abril de 2020, meses após seu aniversário de 100 anos de idade.

Na obra, o escritor judeu detalha as dificuldades enfrentadas durante o período do Holocausto. “Vi o pior da humanidade, os horrores dos campos de extermínio, os esforços nazistas para exterminar minha vida e as vidas de todo o meu povo”, escreveu.

Diversas organizações lamentaram a morte de Jaku. Em publicação no Twitter, o Museu Judaico de Sydney homenageou a memória do escritor e ressaltou a importância da obra do alemão.

“’Esta é a minha mensagem, enquanto eu viver, ensinarei a não odiar.’ O falecimento do sobrevivente do Holocausto Eddie Jaku OAM deixou um enorme vazio no coração da ‘família’ do Museu Judaico de Sydney. O impacto de Eddie, como o ‘homem mais feliz do mundo’, será sentido nas gerações vindouras”, divulgou a instituição.

Em sua obra, o escritor narra os eventos desumanos que enfrentou durante os anos do Holocausto. Jaku foi violentamente espancado por nazistas em 1938, na chamada Noite de Cristais. Além disso, o judeu foi transportado para um campo de concentração em Buchenwald e também sobreviveu à Marcha da Morte, quando foi forçado a caminhar por quilômetros, no auge do inverno.

Em junho de 1945, ao fim da Guerra, Jaku foi encontrado delirando por soldados norte-americanos, pesando menos de 30kg. Em 1950, ele se mudou para a Austrália, onde teve dois filhos.

Mais lidas
Últimas notícias