Servidor: saiba quais são os 13.231 cargos extintos por Bolsonaro

Decreto com a extinção saiu nesta sexta-feira (12/4). Maior parte dos postos está vinculada ao Ministério da Saúde

Rafaela Felicciano/MetrópolesRafaela Felicciano/Metrópoles

atualizado 12/04/2019 10:33

O governo do presidente Jair Bolsonaro (PSL) publicou nesta sexta-feira (12/4) decreto que extingue 13.231 cargos efetivos vagos dos quadros de pessoal da administração pública federal. O documento traz ainda uma lista de postos que serão extintos.

A meta do governo é ter uma estrutura de cargos mais enxuta. Isso significa também que não estão previstos novos concursos para este ano. As seleções para a contratação de pessoal ocorrerão somente em casos excepcionais.

A medida faz parte do pacote de 18 atos do governo, anunciado nessa quinta (11) por Bolsonaro. Na prática, grande parte dos cargos extintos não vai gerar demissão de trabalhadores. Isso porque do total de cargos que serão suprimidos, 12.315 já estão desocupados. A maioria está vinculada ao Ministério da Saúde.

Os outros 916 servidores que ocupam funções consideradas obsoletas, como jardineiro, atendente bilíngue, auxiliar de enfermagem e guarda de endemias, terão as atividades extintas à medida que os funcionários se aposentarem.

Veja as tabelas com a denominação dos cargos ocupados por servidores de nível intermediário ou auxiliar:

Reprodução

 

Reprodução

 

Reprodução

 

Servidores comissionados 
Em março deste ano, o governo extinguiu 21.003 cargos comissionados e gratificações na administração pública. O Decreto n° 9.725, assinado pelo presidente da República e pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, foi publicado no Diário Oficial da União (DOU) de 13/3.

De acordo com o texto da medida, “os ocupantes dos cargos em comissão e das funções de confiança que deixam de existir ficam automaticamente exonerados ou dispensados”.

O número reduziu imediatamente 6.587 cargos vagos (31,4%). Além disso, 2.001 (9,5%) gratificações técnicas deixarão de ser ocupadas em 30 de abril e as outras 12.412 (59,1%) serão extintas ou proibidas de ocupação no dia 31 de julho.

Últimas notícias