Renan diz que Bolsonaro quer Brasil exposto e assassinato em massa

O senador comparou Bolsonaro com Jim Jones, líder da seita Templo dos Povos, famoso devido ao suicídio/assassinato em massa

atualizado 10/06/2021 22:32

Renan CalheirosDaniel Ferreira/Metrópoles

O relator da CPI da Covid, Renan Calheiros (MDB-AL), usou as redes sociais, nesta quinta-feira (10/6), para comentar a decisão do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) em mandar o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, a desobrigar o uso de máscaras por pessoas que já tiveram Covid-19 ou que já foram vacinadas.

Na publicação, o parlamentar afirmou que após insistir na Cloroquina, Bolsonaro agora “declara guerra à máscara”. Em certo momento, o senador comparou Bolsonaro com Jim Jones, líder da seita Templo dos Povos, famoso devido ao suicídio/assassinato em massa.

Bolsonaro fez o anuncio nesta quinta-feira, mas o presidente da República não detalhou como se dará essa “liberação”, já que não há norma federal obrigando o uso de máscaras pela população, mas sim decretos estaduais, municipais ou distritais.

Porém, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, disse que a desobrigação do uso de máscaras ainda “está em estudos”.

Orientações da OMS

Com o andamento da imunização, alguns países optaram pela dispensa do uso de máscaras por pessoas vacinadas. A Organização Mundial da Saúde (OMS), no entanto, pediu cautela aos governos. Segundo a OMS, a dispensa dos cuidados básicos, como o uso do protetor, só pode acontecer quando não há mais transmissão comunitária da doença e isso não depende apenas da vacinação.

0

Últimas notícias