Rei Arthur: conheça a vida de luxo de empresário acusado de corrupção

Acusado de lavagem de dinheiro pela Justiça do Rio, empresário Arthur Soares foi condenado nos Estados Unidos e pode retornar ao Brasil

atualizado 13/05/2022 19:39

Reprodução TV Globo

Rio de Janeiro – Foragido da Justiça brasileira desde 2017, o empresário Arthur César de Menezes Soares Filho, conhecido como Rei Arthur, levava uma vida de luxo em Miami, nos Estados Unidos. Nesta semana, no entanto, o empresário foi condenado pelo Judiciário americano por seu envolvimento na compra de votos na candidatura do Rio como cidade olímpica.

A expectativa é de que ele retorne ao Brasil após um pedido de extradição ter sido encaminhado pelas autoridades brasileiras à Interpol. Arthur Soares é acusado pela Lava Jato no Rio de Janeiro de pagar US$ 2 milhões por votos para levar a Olimpíada de 2016 à capital fluminense.

Assim que se viu foco de investigações, em abril de 2017, o empresário colocou suas empresas em nome dos filhos e se mudou para Miami, levando seus negócios para os Estados Unidos. O mandado de prisão contra ele foi expedido meses depois, em agosto. No mesmo ano, ele entrou para lista de procurados pela Interpol.

Vida de rei

Em Miami, ele levava “vida de rei”, em alusão ao apelido que veio após o empresário fechar os maiores contratos com o estado do Rio de Janeiro no governo de Sérgio Cabral. Os negócios fizeram com que ele tivesse arrecadações milionárias.

0

 

 

 

Uma reportagem do Fantástico feita em 2019 mostrou que as tranquilas caminhadas no sol de Miami eram intercaladas com passeios em seu carro Masserati, avaliado em R$ 530 mil no Brasil.

Rei Arthur morava na Ilha de Key Biscayne, uma das regiões mais caras do estado norte-americano. A casa de cinco quartos tinha pisos de mármore, armários espaçosos, varanda com vista para o jardim e piscina aquecida. Em seguida, ele se mudou para Miami Beach, bairro ao lado, em uma casa confortável e aparentemente mais simples que a outra.

Em Miami, ele mantinha escritório no quarto andar de um prédio comercial. Na hora do almoço, frequentava restaurantes caros, como um japonês onde uma refeição custa em média R$ 350 por pessoa.

Além da casa luxuosa em que morava, foram encontrados outros oito endereços ligados ao Rei Arthur ao redor o mundo. Entre eles, uma casa em Aspen, estação de sky no estado do Colorado e um apartamento em Paris.

Desde 2017, o Ministério Público Federal vem pedindo a prisão e extradição do empresário, mas a resposta só veio agora, em 2022, cinco anos depois. Arthur responde por crimes de corrupção, lavagem de dinheiro, evasão de divisas e organização criminosa.

Acusações

Além da compra de votos nos Jogos Olímpicos de 2016, segundo o Ministério Público Federal, o acusado, em troca de vantagens na celebração de contratos com suas empresas, efetuou pagamentos de vantagens indevidas a diferentes pessoas.

Ele é dono do Grupo Facility e, durante o mandato de Cabral como governador, foi apontado como o maior fornecedor de mão de obra terceirizada ao governo estadual. Ele chegou a faturar aproximadamente R$ 250 milhões com os contratos.

O ex- governador Sérgio Cabral, condenado a 200 anos de prisão, é acusado de ter recebido no exterior US$ 10,4 milhões em propina de Rei Arthur, entre março de 2012 e novembro de 2013, além de um total de R$ 1 milhão no Brasil, entre 2007 e 2011.

Receba notícias do Metrópoles no seu Telegram e fique por dentro de tudo! Basta acessar o canal: https://t.me/metropolesurgente.

Mais lidas
Últimas notícias