Recém-liberado da cadeia, Renan Sena participa de ato pró-Weintraub

A Esplanada dos Ministérios estava fechada por determinação do governador Ibaneis Rocha. Havia aproximadamente 20 pessoas no ato

atualizado 16/06/2020 18:09

Renan SenaRafaela Felicciano/Metrópoles

Preso e liberado pela Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) após fazer ameaças ao governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), o ativista pró-Bolsonaro Renan Sena participou, nesta terça-feira (16/06), de um ato pela permanência de Abraham Weintraub no Ministério da Educação.

O grupo, de aproximadamente 15 pessoas, contrariou a ordem do governador que, mais cedo, ordenou o fechamento da Esplanada dos Ministérios após integrantes da inteligência do governo detectarem que remanescentes do grupo 300 do Brasil fizeram ameaças ao bispo dom Marcony Vinícius Ferreira. Ele pertence à Cúria Metropolitana, que fica na Catedral Nossa Senhora Aparecida, no meio da Esplanada.

Logo no início, por volta das 13h, Renan Sena gravou vídeo em apoio ao ministro. Ele também criticou os generais ministros Walter Souza Braga Netto, da Casa Civil, e Eduardo Pazuello, ministro interino da Saúde.

“Weintraub é o único ministro de direita com valores extremamente conservadores, que luta com todas as forças pelos objetivos do nosso presidente Bolsonaro. Se Weintraub sair do governo, vai ser uma perda muito grande para nós”, disse ele, no vídeo.

“Pazuello e Braga Netto, pede pra sair! (sic) Vocês são pais fracassados. Comunistas são o câncer do Brasil. Vocês são assassinos! Nós vamos lutar pelo país! Não vamos virar escravos de vocês. Nós sustentamos as Forças Armadas com o nosso suor para defender a nação”, ele disse. Tanto Pazuello quanto Braga Netto são oriundos das Forças Armadas.

Ao longo de aproximadamente meia hora, o grupo gritou repetidas vezes “Força, Weintraub!”, “A nossa bandeira jamais será vermelha” e disseram: “Weintraub tem razão”, em referência ao mantra dos apoiadores do professor on-line de filosofia, Olavo de Carvalho, que inspira parte dos extremistas pró-governo. Seus seguidores costumam dizer: “Olavo tem razão”. Veja vídeo:

Quem é

Renan da Silva Sena é ex-funcionário terceirizado do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos.

O ex-servidor atuou no ministério chefiado por Damares Alves como analista de projetos do setor socioeducativo. A admissão dele foi feita por intermédio da G4F Soluções Corporativas Ltda. Contratada por R$ 20 milhões, a empresa presta serviços nas áreas de apoio administrativo e operacional à pasta. O funcionário foi demitido em maio.

Nas redes sociais, Renan costuma fazer publicações em apoio ao presidente Jair Bolsonaro. Ele também segue o chefe do Executivo nacional em agendas na Esplanada dos Ministérios.

O ativista pró-Bolsonaro ainda é acusado de agredir enfermeiras em manifestação na Praça dos Três Poderes, em 1° de maio.

Veja imagens do caso:

0

 

 

Últimas notícias