Presidido pelo Brasil, Mercosul quer facilitar turismo no bloco

Com o país no comando temporário do grupo, a ideia é se se aproximar de outros países e facilitar turismo entre as nações do bloco

Marcos Corrêa/PRMarcos Corrêa/PR

atualizado 16/07/2019 20:34

Um dos principais objetivos do presidente Jair Bolsonaro (PSL) no comando pró-tempore (rotativo) do Mercosul será eliminar a taxa de ligação internacional entre os integrantes do bloco e rever o processo burocrático da troca imigratória entre os países. As informações são do porta-voz da presidência, Otávio Rêgo Barros, divulgadas nesta terça-feira (16/07/2019).

Segundo Barros, Bolsonaro pretende transformar o bloco no “Mercosul 2.0”. “Nessa cúpula o Brasil assumirá a presidência do Mercosul e buscará consenso para celebração do acordo com o objetivo de destravar e transformar o bloco que, segundo Bolsonaro, se tronará o ‘Mercosul 2.0′”, completou.

Além disso, o presidente espera facilitar a assistência consular de brasileiros e argentinos, revisar tarifas de importação, flexibilizar acordos bilaterais e estabelecer livre comércio com os Estados Unidos.

Segundo o porta-voz, quando um país assume a presidência do bloco temporariamente, ele propõe uma agenda de ações que devem ser recebidas naquele período. Ainda, ele ressaltou a importância de o bloco acordar com outros grupos ou países, como houve recentemente com a União Europeia. Na última viagem de Bolsonaro ao Japão para participar das reuniões do G20, ficou acertada a negociação da parte comercial do Acordo de Associação entre o Mercosul e a UE.

Agenda do presidente 

Segundo o porta-voz, Bolsonaro deixa Brasília às 8h, desta quarta-feira (17/07/2019), direto da base aérea da presidência. Devem acompanhar o presidente durante viagem o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni; o chefe do Gabinete de Segurança Institucional, general Augusto Heleno, o deputado Hélio Lopes (PSL-RJ) e a comitiva técnica da presidência.

Após 3h30 de viagem, Bolsonaro chega a Santa Fé às 11h30 e participa da cerimônia do Mercosul às 12h25. Às 12h30 haverá sessão plenária dos chefes de estado, seguido por sessão de fotos oficiais e almoço entre os presidentes dos países.

A previsão é de que Bolsonaro deixe a Argentina às 15h30 e retorne à capital do Brasil às 18h30, do mesmo dia.

 

Últimas notícias