Bolsonaro exalta Eduardo: “Frita hambúrguer também, tá legal?”

Presidente desconversou ao ser questionado sobre a confirmação da indicação do filho para a embaixada nos EUA

Rafaela Felicciano/MetrópolesRafaela Felicciano/Metrópoles

atualizado 16/07/2019 13:13

No Palácio da Alvorada, na manhã desta terça-feira (16/07/2019), o presidente Jair Bolsonaro (PSL) desconversou ao ser questionado sobre a indicação do filho e deputado federal, Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), para o comando da embaixada do Brasil nos Estados Unidos, mas voltou a exaltar as qualidades do parlamentar.

“Eduardo é meu filho. Fala inglês, fala espanhol, tem uma vivência internacional muito grande”, elencou. “E frita hambúrguer também, tá legal?”, brincou o presidente.

A declaração foi feita durante o hasteamento da bandeira do Brasil, quando Bolsonaro aproveitou para tirar foto junto a apoiadoras. Uma delas segurava uma faixa em aprovação à indicação do filho do presidente à função de embaixador nos EUA.

Em solenidade na Câmara dos Deputados nessa segunda-feira (15/07/2019), o presidente afirmou que uma das principais métricas para avaliar se a indicação de Eduardo é correta, e suposta prova da competência dele, é o volume de críticas que o assunto tem recebido.

“Nós temos que tomar decisões que não agradam a todos, como a possibilidade de indicar meu filho à embaixada nos Estados Unidos, que está sendo criticada pela mídia. Se está sendo criticada, é sinal de que [Eduardo] é a pessoa adequada”, afirmou, no plenário da Casa.

Nessa segunda-feira (15/07/2019), o porta-voz da presidência da República, Otávio do Rêgo Barros, transmitiu uma mensagem do presidente, reforçando que cabe apenas a ele a decisão de indicar ou não Eduardo. “O presidente Bolsonaro destaca que a indicação de embaixadores para qualquer nação com a qual o Brasil mantenha relações diplomáticas é atribuição única e exclusiva do chefe do Poder Executivo”, sentenciou o porta-voz.

E continuou: “A eventual designação do deputado Eduardo Bolsonaro para embaixador do Brasil nos Estados Unidos da América observa as seguintes considerações: é legalmente viável; ele detém a total confiança do presidente Bolsonaro e o acesso facilitado ao mandatário daquela nação amiga; é presidente da Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional da Câmara dos Deputados; é conhecedor de relações internacionais e tem acompanhado comitivas do governo lideradas pelo presidente Bolsonaro e internalizado os princípios da atual política interna do Brasil”.

Últimas notícias