Eduardo nos EUA: “Se tem crítica, é a pessoa indicada”, diz Bolsonaro

O presidente foi até a Câmara dos Deputados para homenagem ao Comando de Operações Especiais do Exército Brasileiro (CopEsp)

atualizado 15/07/2019 13:05

Bolsonaro fala com EduardoMichael Melo/Metrópoles

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) comentou, nesta segunda-feira (15/07/2019), a repercussão sobre a possível indicação do seu filho e deputado federal, Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), à embaixada brasileira dos Estados Unidos. Na avaliação presidencial, uma das principais métricas para avaliar se a indicação é correta, e suposta prova da sua competência, é o volume de críticas que o assunto tem recebido.

“Nós temos que tomar decisões que não agradam a todos, como a possibilidade de indicar meu filho à embaixada dos Estados Unidos, que está sendo criticada pela mídia. Se está sendo criticada, é sinal de que [Eduardo] é a pessoa adequada”, afirmou, no plenário da Câmara dos Deputados.

Na semana passada, o presidente afirmou que a decisão de assumir o cargo dependia unicamente de seu filho, mas disse que Eduardo era qualificado por te vivido no exterior, além da fluência na língua inglesa. O chefe do Executivo negou que a indicação seria nepotismo, ao dizer que, se fosse, “jamais faria isso”.

 

0

Deslocamento
Mesmo com a pausa nos trâmites da reforma da Previdência, devido ao recesso parlamentar, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) segue em articulação com o Congresso Nacional a fim de estreitar as relações com o Legislativo e garantir a aprovação de projetos de interesse do governo no segundo semestre.

Com seis meses marcados por embates com o Parlamento e baixa nos índices de aprovação popular, os esforços do Executivo serão de reverter o quadro e impulsionar o governo de Bolsonaro para o próximo período.

Dessa forma, o presidente compareceu, nesta segunda-feira (15/07/2019), ao plenário da Câmara dos Deputados para participar da sessão solene em homenagem ao aniversário do Comando de Operações Especiais do Exército Brasileiro (CopEsp).

A sessão foi solicitada pelo líder do governo na Câmara, Major Vitor Hugo (PSL-GO), e pelo líder do PSL, Delegado Waldir (PSL-GO). O objetivo é comemorar o aniversário da corporação que ocorreu no dia 27 de junho. “Além da comemoração pelo aniversário, a sessão terá como finalidade homenagear o Comando pelo reconhecimento das atividades realizadas em prol da Nação Brasileira”, diz o pedido assinado pelos dois deputados do PSL.

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), não está na Casa na manhã desta segunda-feira (15/07/2019). Na chegada de Bolsonaro, 16 deputados estavam presentes. Os congressistas entram em recesso parlamentar no dia 18 de julho, mas esta semana já é considerada “recesso branco”.

Últimas notícias