Silas Malafaia ataca CPI da Covid: “CPI da safadeza”

O pastor acompanha o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), que está em agenda no interior da Bahia

atualizado 03/09/2021 12:09

Reprodução/Twitter

O pastor Silas Malafaia disse, nesta sexta-feira (3/9), em discurso na cerimônia de assinatura do contrato de concessão da Ferrovia de Integração Oeste-Leste (FIOL I), em Tanhaçu (BA), que a CPI da Covid-19 é a “CPI da safadeza”. Apesar de integrar a comitiva presidencial e estar presente junto ao alto escalão, o pastor não ocupa nenhum cargo político no governo federal.

Malafaia criticou o governador da Bahia, Rui Costa (PT), que, segundo ele, nomeou Carlos Gabas, secretário executivo do Consórcio Nordeste, que teria comprado respiradores que nunca chegaram aos estados.

“A CPI da safadeza protege esse vagabundo, porque a casa cai de governador e de gente aqui do Nordeste. Depois, quer acusar o presidente dizendo que ele não fez nada pela pandemia, vamos parar com isso”, exclamou o pastor.

Durante o discurso, o pastor também atacou governadores do país, sob o argumento de que os gestores teriam “roubado” o dinheiro repassado pelo governo federal para lidar com a crise da Covid-19.

“O dinheiro que o governo federal mandou para prefeituras e governos estaduais dava para fazer mais de 40 mil leitos de UTI de ponta e evitado a morte de milhares de brasileiros. Foi roubado o dinheiro na maior safadeza”, reafirmou Malafaia.

À tarde, Bolsonaro cumpre agenda em Pernambuco, onde participa de solenidade de passagem do Comando Militar do Nordeste.

Mais lidas
Últimas notícias