PSDB ainda não sabe o que ocorreu com app de votação nas prévias

Segundo a sigla, a Fundação de Apoio à Universidade Federal do Rio Grande do Sul só apresentou hipóteses para o problema

atualizado 23/11/2021 17:29

João Doria (E), Arthur Virgilio (C) e Eduardo Leite disputam as prévias do PSDBDivulgação

Após reunião realizada nesta terça-feira (23/11), o PSDB informou que a Fundação de Apoio à Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Faurgs) não conseguiu apresentar um diagnóstico sobre o problema ocorrido no domingo (21/11) com o aplicativo de votação para as prévias do partido.

De acordo com o partido, durante a reunião, a fundação apresentou apenas hipóteses sobre o problema e ainda não apontou modificações a serem realizadas no aplicativo, com o objetivo de garantir o seu funcionamento no próximo domingo (28/11), quando o partido espera concluir a votação para a escolha do nome que vai encarnar a candidatura tucana ao Palácio do Planalto.

Com isso, cresceu entre os tucanos a insegurança para manter as prévias com a tecnologia contratada da fundação e que custou ao partido R$ 1,6 milhão.

Em nota, o PSDB se disse “vítima de um problema técnico nas prévias”.

“Entre as possibilidades, já há empresa que será submetida ao teste de estresse por todas as candidaturas. Mais alternativas estão em análise”, disse.

“O fundamental é garantir o voto dos filiados já cadastrados. Os votos já registrados na urna e em aplicativos estão válidos e serão computados.”

Mais cedo, o partido se reuniu com técnicos da empresa Relata Soft, que deve ser a escolha da legenda para realizar as prévias, suspensas no último domingo (21/11) devido a falhas no aplicativo desenvolvido pela Fundação de Apoio da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Faurgs).

Em um primeiro momento, o sistema desenvolvido pela empresa, o D.Vota, passará por testes realizados pelas equipes técnicas das três campanhas que disputam as prévias. Os candidatos Arthur Virgílio, Eduardo Leite e João Doria participarão da análise e designarão as equipes.

Se houver sucesso após análise, a Relata Soft poderá iniciar o plano de votação que vai contemplar os cerca de 40 mil filiados que não conseguiram usar, no último domingo, o aplicativo PSDB Prévias, desenvolvido pela Faurgs.

Apesar do PSDB não ter ainda anunciado oficialmente a desistência do aplicativo utilizado no domingo, o dono da Relata Soft, Leonardo Cunha, disse que já tem autorização do partido para dar início aos testes nesta terça-feira (23/11).

O partido ainda está em reunião com os técnicos da Faurgs, que vão informar sobre a viabilidade ou não de continuidade do uso do app Prévias PSDB.

Cancelamento

Na noite do último domingo (21/11), o PSDB comunicou o adiamento do processo seletivo por meio do aplicativo — nas prévias que vão definir o candidato do partido à Presidência da República — após a plataforma apresentar falhas durante todo o dia.

As empresas de tecnologia contratadas para acompanhar as prévias do PSDB diagnosticaram que o problema do aplicativo de votação está na ausência de licenças suficientes para suportar o reconhecimento facial dos filiados.

A Fundação de Apoio da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (FAURGS), que desenvolveu o aplicativo, comprou uma quantidade mínima dessas licenças da Microsoft para colocar o aplicativo em funcionamento.

Mais lidas
Últimas notícias