metropoles.com

“Não vai ter sacanagem nas eleições”, diz Bolsonaro sobre 2022

Presidente reforçou que acompanhamento do processo eleitoral pelas Forças Armadas vai acabar com a suspeição

atualizado

Compartilhar notícia

Rafaela Felicciano/Metrópoles
Presidente Jair Bolsonaro participa da solenidade de Passagem de Comando do Comandante de Operações Especiais em Goiania 12
1 de 1 Presidente Jair Bolsonaro participa da solenidade de Passagem de Comando do Comandante de Operações Especiais em Goiania 12 - Foto: Rafaela Felicciano/Metrópoles

Em agenda em Campinas (SP), nesta sexta-feira (8/10), o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) disse que “não vai ter sacanagem nas eleições” de 2022.

“O ano que vem tem eleições, vamos renovar, prestigiar quem fez um bom trabalho e renovar. Pode ter certeza que não vai ter sacanagem nas eleições”, afirmou ele em discurso na 1ª Feira Brasileira do Nióbio.

Em seguida, Bolsonaro saudou a participação das Forças Armadas no processo eleitoral. Como resposta aos ataques às urnas eletrônicas feitos pelo próprio presidente e seus aliados, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) criou uma comissão da transparência para o próximo pleito, que terá participação dos militares na fiscalização.

“Convidaram as Forças Armadas, nós aceitamos e vamos participar de todo o processo eleitoral. Vamos acabar com a suspeição”, assinalou Bolsonaro.

Após derrota imposta pela Câmara dos Deputados, que rejeitou a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) do Voto Impresso, o mandatário recuou da defesa do voto impresso e agora tem apresentado a tese de que o acompanhamento do processo pelos militares vai garantir confiança no pleito.

Abertura dos códigos-fontes

Esta semana, representantes das Forças Armadas, partidos políticos e PF acompanharam a abertura dos códigos-fontes das urnas eletrônicas. O presidente do TSE, ministro Luís Roberto Barroso, antecipou a abertura dos códigos-fonte, que era feita seis meses antes do pleito,

A disponibilização antecipada do código-fonte foi determinada em resolução do TSE aprovada por unanimidade pela Corte Eleitoral na última terça-feira (28/9). A nova norma alterou a Resolução TSE nº 23.603, de 2019, que trata sobre os procedimentos de fiscalização e auditoria do sistema eletrônico de votação.

No evento, ao agradecer a presença dos presidentes de 22 partidos políticos e de vários representantes da sociedade civil no evento, o ministro Barroso lembrou que o sistema eleitoral flui há muito tempo e flui bem.

“Infelizmente, as pessoas não tinham a preocupação em acompanhar a abertura do código-fonte. Não há nenhum segredo: esse é um sistema que está em vigor desde 1996, pelo qual foram eleitos todos os parlamentares que estão aqui. Estamos todos empenhados em prover a sociedade de eleições limpas, seguras e auditáveis”, disse.

Barroso afirmou ainda que a discussão sobre o voto impresso está encerrada e comemorou que “finalmente o defunto foi enterrado”.

Compartilhar notícia

Quais assuntos você deseja receber?

sino

Parece que seu browser não está permitindo notificações. Siga os passos a baixo para habilitá-las:

1.

sino

Mais opções no Google Chrome

2.

sino

Configurações

3.

Configurações do site

4.

sino

Notificações

5.

sino

Os sites podem pedir para enviar notificações

metropoles.comNotícias Gerais

Você quer ficar por dentro das notícias mais importantes e receber notificações em tempo real?