Mourão após fala sobre racismo: “Podem discordar, mas não precisam ofender”

O vice-presidente afirmou que o "racismo não existe no Brasil" ao comentar a morte de João Beto por seguranças do Carrefour em Porto Alegre

atualizado 21/11/2020 17:53

Andre Borges/Esp. Metrópoles

O vice-presidente da República, Hamilton Mourão, falou sobre a repercussão da declaração polêmica que deu nessa sexta-feira (21/11), após a morte brutal de João Alberto Freitas, 40 anos, por seguranças da rede de hipermercados Carrefour, em Porto Alegre (RS), quando disse que “não existe racismo no Brasil“. O militar afirmou que podem discordar dele, mas sem ofendê-lo.

“Essa é minha opinião à luz do estudo da formação de nossa nacionalidade. Inclusive, fui claro ao comparar com o que vi em outro país. Pessoas podem discordar de minha visão, mas não precisam ofender”, disse à CNN Brasil, neste sábado (21/11).

Na sexta, ao lamentar a morte de João Beto, Mourão falou: “Lamentável, né. Lamentável isso aí, isso é lamentável. A princípio, é segurança totalmente despreparada para atividade que ele tem que fazer. […] Para mim, no Brasil, não existe racismo. Isso é uma coisa que querem importar aqui para o Brasil. Isso não existe aqui”.

0

Após a declaração, Mourão foi novamente questionado sobre achar que não existe racismo no país, ao que respondeu: “Não. Eu digo para você com toda a tranquilidade. Não tem racismo aqui”.

Últimas notícias