Lira quer recursos recuperados pela Lava Jato para a compra de vacinas

PGR já avisou ao STF que há mais de R$ 1,2 bilhão em contas judiciais ligadas à operação e que ainda não tem destinação específica

atualizado 02/03/2021 20:00

Arthur Lira, presidente da CâmaraFábio Vieira/Metrópoles

O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), defendeu, nesta terça-feira (2/3), que o valor de cerca de R$ 1,3 bilhão retido nas contas da Operação Lava Jato seja revertido para a aquisição de vacinas contra a Covid-19.

“Já é hora da Câmara se posicionar junto com o Senado sobre um dinheiro que está retido nas contas da Lava Jato, em torno de R$ 1,3 bilhão, R$ 1,4 bilhão, [que] isso seja rapidamente resolvido e revertido para compras de vacinas”, disse Lira, em entrevista à rádio Jovem Pan.

“Há uma discussão muito forte da destinação deste recurso, de quem é dono. Nada mais apropriado que o dono desse recurso seja o povo brasileiro. [E este recursos seja] revertido na compra de vacina, no reforço no caixa do governo federal para ser destinado ao combate da Covid-19”, acrescentou.

Porém, na última semana, o procurador-geral da República, Augusto Aras, informou ao Supremo Tribunal Federal (STF) que há mais de R$ 1,2 bilhão em contas judiciais ligadas à Lava Jato, ainda sem destinação específica. Os recursos foram obtidos com a recuperação de ativos feita pela forças-tarefas do Rio de Janeiro e de Curitiba.

Nesta terça-feira, a Segunda Turma do STF arquivou uma denúncia contra o presidente da Câmara sobre suposto envolvimento em desvios de recursos na Petrobras, que era investigado pela Lava Jato.

Já o ministro Edson Fachin, do STF, manteve a denúncia, também nesta terça-feira, contra o parlamentar por suposto recebimento R$ 1,6 milhão em propina da construtora Queiroz Galvão. A denúncia foi oferecida pela PGR, também no âmbito da Lava Jato.

Últimas notícias