Flordelis chora no Conselho de Ética da Câmara ao dizer que é inocente

A deputada é acusada de ser a mandante do assassinado de seu marido, o pastor Anderson do Carmo, em junho de 2019

atualizado 16/03/2021 17:22

FlordelisRafaela Felicciano/Metrópoles

Acusada de ser a mandante do assassinato do marido, Anderson do Carmo, a deputada federal Flordelis (PSD-RJ) chorou nesta terça-feira (16/3) durante a reunião no Conselho de Ética da Câmara dos Deputados e alegou ser inocente.

A deputada enfrenta uma representação no colegiado por quebra de decoro, o que pode levar à cassação de seu mandato.

O crime ocorreu em 16 de junho de 2019, quando o casal chegava à casa da família, em Niterói (RJ).

Ao falar aos demais deputados membros do colegiado, a deputada disse estar sofrendo uma “perseguição implacável” e não ter “um único momento de paz” nos últimos dois anos.

“Sou inocente, não mandei matar meu marido. Não participei de nenhum ato de conspiração contra a vida do homem que foi meu companheiro por muitos anos, mais de 20 anos”, declarou.

Veja:

Ela ainda acrescentou que Anderson era “muito mais do que meu marido, era meu amigo”.

Flordelis reclamou que está havendo um “assassinato” de sua reputação e lembrou aos demais parlamentares que ainda não acabou de ser julgada pela Justiça. “Não cometam nenhuma injustiça”, apelou a deputada aos colegas.

“Tenho o direito de ter minha dignidade preservada”, disse.

0

 

Últimas notícias