CPI da Covid convoca Ibaneis e mais 8 governadores. Veja lista

Medidas miram estados e municípios investigados pela PF por irregularidades na destinação de recursos federais na pandemia

atualizado 26/05/2021 14:45

CPI da CovidEdilson Rodrigues/Agência Senado

Senadores da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid aprovaram, nesta quarta-feira (26/5), a convocação de governadores para prestarem depoimento ao colegiado.

As convocações miram estados investigados pela Polícia Federal por supostas irregularidades na destinação de recursos federais para enfrentamento da pandemia do novo coronavírus.

A lista inclui nomes como o do ex-governador Wilson Witzel (PSC), investigado e afastado do cargo por suspeitas de integrar organização criminosa que praticou irregularidades na área da Saúde do estado.

Outro nome chamado a depor na CPI da Covid é do chefe do Executivo do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB). A convocação ocorre após os senadores do colegiado receberem um relatório do Tribunal de Contas da União (TCU) que apura irregularidades no uso de verba da União pelo Governo do DF (GDF) na pandemia.

Veja os convocados: 

  • Wilson Lima (Amazonas);
  • Waldez Góes (Amapá);
  • Ibaneis Rocha (Distrito Federal);
  • Helder Barbalho (Pará);
  • Coronel Marcos Rocha (Rondônia);
  • Antônio Denarium (Roraima);
  • Carlos Moisés (Santa Catarina);
  • Mauro Carlesse (Tocantins); e
  • Wellington Dias (Piauí).
Reconvocações

Ainda nesta sessão, a comissão parlamentar também aprovou as reconvocações do ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello e do atual chefe da pasta federal, Marcelo Queiroga.

No entendimento dos senadores, a relevância do retorno de Pazuello decorre das contradições que o general apresentou no seu primeiro depoimento.

A reconvocação, que antes era vista como uma possibilidade, virou realidade após o general participar de ato ao lado do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), com motociclistas no Rio de Janeiro, sem máscara e causando aglomeração.

O depoimento de Queiroga, por sua vez, foi “pouco esclarecedor”, na avaliação dos integrantes da comissão parlamentar. Atual chefe da Saúde, o cardiologista foi evasivo sobre o uso da cloroquina no tratamento de pacientes da Covid-19, não contrariou as manifestações e posicionamentos do mandatário do país, e reiterou a importância da vacinação no enfrentamento da crise sanitária.

CPI da Covid

A CPI da Covid destinou a sessão desta quarta-feira (26/5) apenas para a votação de requerimentos de convocação e informação. Na terça (25/5), o colegiado colheu o depoimento da secretária de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde do Ministério da Saúde, Mayra Pinheiro.

Mayra foi a nona depoente da comissão. Antes dela, os senadores ouviram os ex-ministros Luiz Henrique Mandetta, Nelson Teich e Eduardo Pazuello, além do atual chefe da Saúde, Marcelo Queiroga.

O ex-chanceler Ernesto Araújo, o gerente-geral da Pfizer para a América Latina, Carlos Murillo, o ex-secretário de Comunicação da Presidência Fabio Wajngarten e o presidente da Anvisa, Antonio Barra Torres, também prestaram depoimento.

A CPI da Covid-19 tem o objetivo de investigar as ações e omissões do governo federal no enfrentamento à pandemia e, em especial, no agravamento da crise sanitária no Amazonas, com o desabastecimento de oxigênio hospitalar, além de apurar possíveis irregularidades em repasses federais a estados e municípios.

Mais lidas
Últimas notícias