Brasil discutirá com EUA “nova posição” para facilitar acesso a vacinas

Manifestação ocorre após o governo norte-americano admitir negociar insumos na OMC. Brasil diz ter "objetivo expresso" na negociação

atualizado 07/05/2021 17:01

ItamaratyRafaela Felicciano/Metrópoles

O governo brasileiro anunciou que vai negociar com os Estados Unidos formas de facilitar o acesso a vacinas contra a Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus.

Nesta sexta-feira (7/5), os ministérios das Relações Exteriores (MRE), da Economia, da Saúde e da Ciência, Tecnologia e Inovações divulgaram nota conjunta defendendo a negociação.

“O Brasil discutirá, em maior profundidade, com os Estados Unidos, sua nova posição e suas implicações práticas para facilitar amplo e urgente acesso a vacinas e medicamentos no combate à Covid-19”, destaca trecho do documento.

A manifestação ocorre após o governo norte-americano mudar de posição e admitir negociar, no âmbito da Organização Mundial do Comércio (OMC), uma solução multilateral que contribua para o combate à Covid-19 e a produção de vacinas e medicamentos.

“O Brasil compartilha o objetivo expresso pela Representante Comercial do Governo dos EUA, Embaixadora Katherine Tai, de prover vacinas seguras e eficientes ao maior número de pessoas possível no menor intervalo de tempo possível”, destaca o governo brasileiro.

O governo comemorou a flexibilização de posições.

“Poderá, em particular, facilitar a implementação das propostas da ‘terceira via’, que visam a aumentar e diversificar a produção e disseminação de vacinas, principalmente em países em desenvolvimento, com melhor utilização de capacidade ociosa, frisa o texto.

Últimas notícias