Bolsonaro sobre Jô: “Deixa para o Brasil um exemplo de postura”

Pelas redes sociais, presidente lembrou de “duras críticas” feitas pelo artista a ele e frisou “direito de livre expressão”

atualizado 05/08/2022 14:47

Jair BolsonaroHugo Barreto/Metrópoles

O presidente Jair Bolsonaro (PL) expressou, na manhã desta sexta-feira (5/8), condolências a familiares de Jô Soares. O humorista morreu na madrugada de sexta-feira, aos 84 anos, em São Paulo.

Em mensagem publicada nas redes sociais, Bolsonaro lembrou das “duras críticas” feitas pelo artista a ele, mas disse que “no fim das contas, as divergências pouca diferença fazem na hora de nossa partida para perto de Deus. O que fica são as nossas obras, e Jô Soares deixa para o Brasil um exemplo de postura, elegância e bom humor, e, por isso, tem o meu respeito”.

Veja a publicação do mandatário:

O chefe do Executivo ainda afirmou que Jô fez “bom uso do seu direito de livre expressão” e “essa é a beleza da democracia”.

Outros políticos, incluindo presidenciáveis como Lula (PT), Ciro Gomes (PDT) e Simone Tebet (MDB), também prestaram homenagens a Jô Soares.

Publicidade do parceiro Metrópoles
0

“Beijo do gordo”

O apresentador Jô Soares, que morreu nesta sexta-feira (5/8), aos 84 anos, em São Paulo, foi um dos maiores nomes da televisão brasileira. Ele estreou no mundo artístico em 1956, conquistou uma carreira brilhante, e se despede deixando um legado, principalmente na televisão brasileira, onde migrou do humor para a entrevista.

José Eugênio Soares nasceu em 16 de janeiro de 1938, no Rio de Janeiro. Ele era o único filho do empresário Orlando Heitor Soares e de Mercedes Leal Soares. Aos 12 anos, mudou-se com a família para a Europa, onde pensou em seguir a carreira diplomática, mas seu amor pela arte falou mais alto.

A estreia na TV aconteceu em 1956. Naquele ano, participou no elenco da Praça da Alegria, na época na RecordTV, onde ficou por 10 anos.

Mais lidas
Últimas notícias