Bolsonaro critica proposta de passaporte da vacina: “De novo?”

Presidente participou de evento da CNI nesta terça-feira (7/12) e criticou medida sugerida pela Anvisa para frear avanço da variante Ômicron

atualizado 07/12/2021 16:16

O Presidente da República, Jair Bolsonaro participa do evento Encontro com Empresários da Indústria Brasileira, no Centro Internacional de Convenções do BrasilHugo Barreto/Metrópoles

O presidente Jair Bolsonaro (PL) criticou, nesta terça-feira (7/12), a proposta da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) de barrar a entrada no país de estrangeiros não vacinados como forma de evitar o avanço da variante Ômicron. Uma reunião ministerial para tratar do assunto na segunda-feira (6/12) acabou cancelada sem definição de nova data.

Bolsonaro afirmou que a Anvisa quer “fechar o espaço aéreo” brasileiro, mas o que a agêcia recomenda é a exigência de comprovante de vacinação contra Covid-19 para estrangeiros. Como justificativa, a agência reguladora alega que a inexistência de uma política de cobrança dos certificados de vacinação pode fazer com que o Brasil vire um destino para turistas que não tenham se imunizado.

“Estramos trabalhando agora com a Anvisa, que quer fechar o espaço aéreo. De novo, porra? De novo, vai começar esse negócio? ‘Ah, a Ômicron…’. Vai ter um montão de vírus pela frente, um montão de variante pela frente talvez. Peço a Deus que esteja errado”, disse Bolsonaro em encontro com empresários promovido pela Confederação Nacional da Indústria (CNI).

Veja post com a fala de Bolsonaro:

Segundo o presidente, “ninguém vai ganhar guerra dentro da trincheira” nem “superar os problemas do Brasil dentro de casa”. Em seguida, Bolsonaro voltou a colocar as vacinas contra a Covid em xeque e a defender a liberdade do médico de prescrever medicamentos sem eficácia comprovada.

“Nós disponibilizamos vacina para quem quisesse, mais de 300 milhões de doses foram compradas. Mas hoje em dia – nós já sabemos, todo mundo sabe, né? – quem toma vacina pode contrair o vírus, e pode transmitir o vírus e pode morrer também, infelizmente”, afirmou. Apesar da declaração de Bolsonaro, a imunização é recomendada pelas autoridades de saúde do mundo todo.

0

Retomada da indústria

No evento, o presidente da entidade, Robson Braga de Andrade, entregou ao presidente um documento com 44 propostas para a retomada da indústria e do emprego em 2022.

Os projetos são das áreas de tributação, eficiência do estado, financiamento, infraestrutura, meio ambiente, inovação, educação, comércio exterior, relações de trabalho e micro e pequenas empresas.

Quinze ministros de Estado estavam presentes: Paulo Guedes (Economia), Onyx Lorenzoni (Trabalho e Previdência), Joaquim Leite (Meio Ambiente), Rogério Marinho (Desenvolvimento Regional), Carlos França (Relações Exteriores), Tarcísio Freitas (Infraestrutura), Walter Braga Netto (Defesa), Milton Ribeiro (Educação), Marcos Pontes (Ciência e Tecnologia), Flávia Arruda (Secretaria de Governo), Luiz Eduardo Ramos (Secretaria-Geral), João Roma (Cidadania), Anderson Torres (Justiça), Tereza Cristina (Agricultura) e Bruno Bianco (Advocacia-Geral da União).

Mais lidas
Últimas notícias