Com Bruna Lima, Edoardo Ghirotto, Eduardo Barretto e Lucas Marchesini

Planalto busca ministérios para agitar agenda eleitoral de Bolsonaro

Jair Bolsonaro só poderá ir a inaugurações até julho; reprovação ao governo bateu recorde, mostra Datafolha

atualizado 06/12/2021 20:39

O presidente Jair Bolsonaro (Sem Partido), durante discurso para apoiadores na manifestação contra o STF na Avenida Paulista 9Fábio Vieira/Metrópoles

Auxiliares de Jair Bolsonaro no Planalto têm procurado ministérios para montar uma agenda de inaugurações de obras para o presidente ir e, assim, se promover com vistas a 2022. Bolsonaro só poderá participar de inaugurações até julho, três meses antes do pleito, conforme manda a lei eleitoral.

De olho na reeleição de Bolsonaro, interlocutores do Planalto começaram a organizar um roteiro de viagens para que Bolsonaro aumente sua aprovação. Em setembro, uma pesquisa Datafolha apontou que a reprovação ao governo bateu recorde, chegando a 53%.

A maratona de viagens também beneficiaria o PL, partido ao qual Bolsonaro se filiou recentemente. Até julho, nomes da sigla teriam palco para aparecer ao lado do presidente, com toda a estrutura da Presidência e da Empresa Brasil de Comunicação (EBC) à disposição.

Já leu todas as notas e reportagens da coluna hoje? Clique aqui.

Siga a coluna no Twitter e no Instagram para não perder nada.

Mais lidas
Siga as redes do Guilherme Amado
Últimas da coluna