Avião da FAB com cocaína: Carlos Bolsonaro ataca general Heleno

O filho do presidente põe sob suspeita, no Twitter, os agentes oferecidos pelo GSI e ressalta que seus alertas podem custar sua vida

Renan Olaz/CMRJ

atualizado 01/07/2019 22:18

Após o episódio do militar da Força Aérea Brasileira (FAB) preso na Espanha com 39 kg de cocaína, o vereador carioca Carlos Bolsonaro (PSC), filho do presidente Jair Bolsonaro (PSL), direcionou sua metralhadora verbal para o general Augusto Heleno, ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) da Presidência da República. No Twitter, o “Zero 2” faz um ataque indireto a Heleno ao colocar sob suspeita a conduta de agentes do GSI, que, segundo o vereador, estariam subordinados a algo que ele não acredita. Carlos ainda afirmou que seus alertas podem custar sua vida.

Confira:

O “Zero 2” retuitou post de uma conta bolsonarista, a Snapanaro, que, por sua vez, publicou o vídeo de uma jornalista que culpa o GSI – e outros órgãos do governo – pelo fato de o sargento Manoel Silva Rodrigues ter conseguido transportar cocaína em uma aeronave da FAB.

O militar fazia parte da comitiva de 21 militares que acompanhou a viagem do presidente Jair Bolsonaro a Tóquio, no Japão, onde participou da reunião do G20. O avião em que estava o militar é usado como reserva da aeronave presidencial e, portanto, o sargento não estava no mesmo avião que transportou o presidente.

Últimas notícias