Apesar de encontro com Lula, aposta de Ciro é em frente ampla sem o PT

No núcleo petista, postagem do pedetista sem citar alianças em municípios foi entendido como recado de que a paz ainda não foi selada

atualizado 30/10/2020 10:23

Ciro gomes e Lula durante encontroRicardo Stuckert/ Instituto Lula/Arquivo

Apesar de ter se encontrado com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) há cerca de um mês, o pedetista Ciro Gomes quer continuar apostando em um caminho sem o Partido dos Trabalhadores.

Segundo pessoas próximas a Ciro, o entendimento é de que o cenário de polarização entre o PT e Jair Bolsonaro não mudou. Por isso, ele segue na construção de uma frente ampla com partidos de centro e de esquerda, que não inclui o partido do ex-presidente.

0

Esse foi o tom da postagem feita por Ciro nesta quinta-feira (29/10). Ele exaltou as coligações realizadas pelo PDT com PSB, PV, REDE, PSB, DEM e PSol, incluindo eleições em capitais. Ciro, no entanto, não fez nenhuma referência às alianças entre PDT e PT.

A união inclui 173 chapas municipais nas quais o PT apoia um candidato do PDT e 134 chapas nas quais o PDT apoia concorrentes petistas. Pessoas próximas ao pedetista  ressaltam que nenhuma dessas alianças foi firmada em eleições de capitais, consideradas mais importantes.

“Na prática, lembro que meu partido, o PDT, construiu alianças preferenciais no campo que chamamos de centro-esquerda – cujo núcleo base é formado por PSB, PV, REDE, PDT – , mas tbm temos alianças, por exemplo, com PSD em BH, DEM em Salvador e São Luís e PSOL em Florianópolis e Belém”, disse o pedetista.

“Considero-me mais que autorizado, sinto-me obrigado a construir, no que estiver ao meu alcance, o diálogo possível com quem for necessário para proteger a nação brasileira”,

Recado

O fato de ter deixado de citar as alianças entre os dois partidos, para o núcleo petista, foi um recado de que ainda não foi dessa vez que a paz foi selada entre os dois líderes.

Mais cedo, em entrevista à Radio Arapuan FM, de João Pessoa, a presidente do PT, Gleisi Hoffmamm, disse esperar que os irmãos Ferreira Gomes parassem os ataques contra a candidata do PT à Prefeitura de Fortaleza, Luiziane Lins.

“Espero que os Ferreira Gomes façam um gesto nesta direção, pedindo a seu candidato em Fortaleza para cessar os ataques à candidata do PT, Luiziane Lins”. Gleisi disse que não poderia falar do encontro entre os dois porque não participou mas enfatizou que “qualquer gesto que contribua para unir a oposição é importante”.

O encontro entre Lula e Ciro ocorreu no Instituto Lula, em São Paulo, e foi intermediado pelo governador do Ceará, Camilo Santana (PT), que é aliado de Ciro. O rompimento entre os dois ocorreu na campanha de 2018, quando Ciro esperava apoio do PT para sua candidatura, o que acabou não ocorrendo.  O PT lançou na última hora o nome de Fernando Haddad, visto que Lula foi impedido de participar do pleito devido à condenação em segunda instância.

 

Últimas notícias