Coronavac: Lula diz que Bolsonaro “cometeu crime” e defende impeachment

Petista foi às redes sociais dizer que presidente cometeu “crime de responsabilidade” e “contra a nação” ao vetar compra de vacina chinesa

atualizado 22/10/2020 18:25

Daniel Ferreira/Metrópoles

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) pediu nesta quinta-feira (22/10) impeachment do atual chefe do Executivo federal, Jair Bolsonaro (sem partido), após ele barrar a aquisição de 46 milhões de doses da Coronavac, vacina contra a Covid-19 desenvolvida pelo laboratório chinês Sinovac em parceria com o Instituto Butantan. Segundo o petista, Bolsonaro cometeu “crime de responsabilidade” e “um crime contra a nação”.

“Se a sociedade, os partidos e os parlamentares, precisavam de um motivo para discutir o impeachment, Bolsonaro acaba de cometer um crime contra a nação ao dizer que não vai comprar a vacina e desrespeitar um instituto da seriedade do Butantan e toda a comunidade científica”, escreveu.

“Se Bolsonaro não acredita na eficácia da vacina, ele que não tome. Mas o papel de um presidente da República é possibilitar que o povo tenha a vacina à sua disposição. Se faltava crime de responsabilidade, essa foi a maior irresponsabilidade de um presidente que já vi.”

Nesta quarta-feira (21/10), Bolsonaro desautorizou o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, que havia anunciado um protocolo de acordo com o Instituto Butantan para comprar a vacina. Os estudos para a vacina estão em fase avançada – na terceira e última etapa de teses clínicos.

0

Ao recuar, o presidente, que é aliado dos Estados Unidos e adversário do governador de São Paulo, João Doria (PSDB), evidenciou que o motivo é ideológico, visto que tucano está a frente do processo, junto ao governo chinês. Nos últimos dias, Bolsonaro e o Doria trocaram farpas por causa da vacina.

Últimas notícias