Ao deixar governo, Damares ressuscita menino veste azul e menina, rosa

Pastora deixa o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos nesta quinta-feira (31/3) e pode disputar eleição

atualizado 31/03/2022 11:10

Ministra Damares Alves discursa em cerimônia de comemoração do Dia da Mulher no Palácio do Planalto. Ela acena para a plateia e usa rosa - MetrópolesHugo Barreto/Metrópoles

Em cerimônia de despedida de ministros que pretendem se candidatar nas eleições de 2022, nesta quinta-feira (31/3), a agora ex-ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos ressuscitou polêmica frase dita em 2019.

“Eu não podia sair daqui sem dizer que os filhos pertencem às famílias, sem dizer que menino veste azul, que menina veste rosa e quem manda nos filhos é a família”, disse Damares Alves em discurso no evento realizado no Palácio do Planalto.

A fala ressuscita declaração dada em janeiro de 2019, quando a pastora causou polêmica ao falar sobre ideologia de gênero. Em gravação, ela afirmou que “menino veste azul e menina veste rosa”. “É uma nova era no Brasil: menino veste azul e menina veste rosa”, exclamou a ministra, nitidamente animada.

No evento que marca sua saída do cargo, Damares ainda agradeceu a primeira-dama, Michelle Bolsonaro, uma das patrocinadoras de sua indicação, por ter confiado e acreditado nela. A líder evangélica ainda deu um recado: “Eu vou voltar um dia”.

Segundo a coluna de Igor Gadelha, no Metrópoles, Damares transferiu seu domicílio eleitoral de São Paulo para o Distrito Federal. A expectativa é de que ela seja candidata a deputada federal pelo DF.

O anúncio deve ser feito por Damares na tarde desta quinta-feira (31/3), durante um evento no Amapá, estado por onde ela cogitou ser candidata.

Recém-filiada ao Republicanos, ela não descarta até mesmo não concorrer a nada.

Cerimônia de despedida

O presidente Jair Bolsonaro (PL) participou da cerimônia na manhã desta quinta com uma plateia repleta de autoridades e convidados.

Por causa da data-limite estabelecida pela Justiça Eleitoral para descompatibilização de cargos públicos (2 de abril), no caso de quem quer concorrer às urnas, nove ministros do governo Jair Bolsonaro desembarcaram de suas funções. Seus nomes foram publicados na edição desta quinta do Diário Oficial da União.

Além deles, outros personagens importantes também deixam a Esplanada, como Mario Frias, Sérgio Camargo, Alexandre Ramagem e Jorge Seif.

0

Mais lidas
Últimas notícias