Para disputar eleição, 9 ministros de Estado deixam cargo. Veja quais

Autoridades cumprem exigência legal e se desincompatibilizam dos cargos nesta quinta-feira (31/3), em evento conjunto no Palácio do Planalto

atualizado 31/03/2022 8:19

Rafaela Felicciano/Metrópoles

Nove ministros serão exonerados nesta quinta-feira (31/3) para disputar algum cargo político nas eleições de outubro deste ano. A saída deles será formalizada em uma cerimônia no Palácio do Planalto, prevista para as 10h.

Por determinação legal, autoridades do Executivo devem deixar os respectivos cargos até seis meses antes do pleito. A data-limite é o próximo sábado (2/4).

Na maioria das pastas, assumirão interinamente os secretários-executivos. Segundo o ministro da Cidadania, João Roma (PL), durante filiação ao Partido Liberal, o presidente Jair Bolsonaro (PL) escolheu substitutos técnicos e que já estavam nos ministérios, em uma “solução caseira” para o resto do ano.

Os ministros que deixam o governo nesta quinta-feira (31/3) são:

  • Tarcísio Gomes de Freitas, ministro da Infraestrutura – disputará o governo de São Paulo, como candidato pelo Republicanos;
  • Onyx Lorenzoni, ministro do Trabalho e Previdência – disputará o governo do Rio Grande do Sul, como candidato pelo Partido Liberal;
  • João Roma, ministro da Cidadania – disputará o governo da Bahia, como candidato pelo Partido Liberal;
  • Damares Alves, ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos – disputará uma vaga ao Senado Federal pelo estado do Amapá, pelo estado de Sergipe ou pelo Distrito Federal, como candidata pelo Republicanos;
  • Gilson Machado, ministro do Turismo – disputará uma vaga ao Senado Federal pelo estado de Pernambuco, como candidato pelo Partido Liberal;
  • Rogério Marinho, ministro do Desenvolvimento Regional – disputará uma vaga ao Senado Federal pelo Rio Grande do Norte, como candidato pelo Partido Liberal;
  • Tereza Cristina, ministra da Agricultura – disputará uma vaga ao Senado Federal pelo estado do Mato Grosso do Sul, como candidata pelo Progressistas;
  • Flávia Arruda, ministra-chefe da Secretaria de Governo – disputará uma vaga ao Senado Federal pelo Distrito Federal, como candidata pelo Partido Liberal; e
  • Marcos Pontes, ministro da Ciência e Tecnologia – disputará uma vaga na Câmara dos Deputados, por São Paulo, como candidato pelo Partido Liberal.

Veja a publicação no DOU desta quinta:

2022_03_31_ASSINADO_do2-páginas-1-2 by Marc Arnoldi on Scribd

O nome de Walter Braga Netto, ministro da Defesa, não apareceu – ficará a cargo do presidente Jair Bolsonaro para ser vice na chapa à reeleição. O general está filiado ao Partido Liberal.

Como são deputados federais licenciados, quatro ministros reassumem seus respectivos postos na Câmara dos Deputados: Onyx Lorenzoni, João Roma, Tereza Cristina e Flávia Arruda. As exonerações foram publicadas na edição desta quinta-feira (31/3) do Diário Oficial da União (DOU).

0

 

Mais lidas
Últimas notícias