Ao deixar a CPI da Covid, Pazuello nega que tenha passado mal

Parlamentar disse que o general teve sintomas da síndrome vasovagal, que é uma perda transitória de consciência. Senado confirmou mal-estar

atualizado 19/05/2021 19:58

Ministro Eduardo Pazuello saindo do plenário da CPI, após suspensão da sessão por conta da ordem do dia no Senado FederalIgo Estrela/Metrópoles

O ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello negou, nesta quarta-feira (19/5), ter passado mal no intervalo do depoimento à CPI da Covid, desmentindo o senador Otto Alencar (PSD-BA), médico, que disse tê-lo socorrido no cafezinho da comissão. O parlamentar ressaltou que o general apresentou sintomas da síndrome vasovagal, que é uma perda transitória da consciência.

“Não passei mal. Está tudo normal. Amanhã continua. Não houve nada disso”, afirmou Pazuello, que estava sendo escoltado pelo senador governista Marcos Rogério (DEM-RO) e por seguranças.

A oitiva já durava cerca de 7 horas e será retomada nesta quinta-feira (20/5), às 9h. Ainda há 22 senadores inscritos para fazer perguntas ao ex-ministro.

Contrariando o relato de Pazuello, o Senado Federal confirmou, nas redes sociais, que o ex-ministro realmente passou mal nas dependências da Casa legislativa.

Veja:

0

Pazuello é o oitavo depoente do colegiado. Antes dele, os senadores ouviram os ex-ministros Luiz Henrique Mandetta e Nelson Teich, e o atual chefe da Saúde, Marcelo Queiroga.

O ex-chanceler Ernesto Araújo, o gerente-geral da Pfizer para a América Latina, Carlos Murillo, o ex-secretário de Comunicação da Presidência Fabio Wajngarten e o presidente da Anvisa, Antonio Barra Torres, também prestaram depoimentos.

A CPI da Covid-19 tem o objetivo de investigar as ações e omissões do governo federal no enfrentamento à pandemia e, em especial, no agravamento da crise sanitária no Amazonas com a ausência de oxigênio, além de apurar possíveis irregularidades em repasses federais a estados e municípios.

Últimas notícias