Amapá: Bolsonaro diz que governo investigará responsabilidades pelo apagão

O presidente afirmou que 70% da energia foram restabelecidos e que previsão para normalizar fornecimento é de nove dias

atualizado 09/11/2020 21:14

Bolsonaro faz liveReprodução

O presidente Jair Bolsonaro disse nesta segunda-feira (9/10) que a energia fornecida para o Amapá não é de responsabilidade do estado ou da União, mas que o ministro de Minas e Energia (MME), Bento Albuquerque, vai apurar as responsabilidades sobre o apagão que atinge o estado desde o dia 3 deste mês

Segundo o presidente, até o momento, 70% da energia do estado já foram restabelecidos e que a previsão de normalização é para daqui a 9 dias.

O apagão atingiu 14 dos 16 municípios do estado, gerando caos para a população, que passou a não ter acessos a itens básicos de sobrevivência, como água e alimentos, entre outros insumos.

Em transmissão ao vivo pelas redes sociais, o presidente citou que a energia é fornecida por uma empresa privada, a Isolux, e que, mesmo assim, o governo vai investigar os motivos de um dos transformadores estar em manutenção desde dezembro do ano passado.

“O ministro de Minas e Energia vai apurar responsabilidades. Se bem que essa energia lá não é reponsabilidade do estado nem da União. É de uma empresa que ganhou o direito à concessão. O outro transformador tinha problema no seu óleo de refrigeração”, disse o presidente.

“É de se lamentar que uma empresa privada fique 10 meses para fazer a manutenção”, protestou o presidente.

0

Bolsonaro disse ainda que as reclamações dos moradores sobre o restabelecimento do serviço ocorrem porque há no estado o esquema de rodízio. O presidente ainda citou os esforços do governo em enviar recursos para o Amapá, como geradores e equipamentos para filtrar óleo.

Últimas notícias