Aliados defendem que Léo Índio deixe assessoria de Chico Rodrigues

Assessor parlamentar é primo dos filhos do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e trabalha com senador flagrado com dinheiro nas nádegas

atualizado 15/10/2020 16:16

Reprodução/ Instagram

Após a Polícia Federal (PF) flagrar o senador Chico Rodrigues (DEM-RR) com dinheiro nas nádegas, integrantes do governo e aliados de Jair Bolsonaro (sem partido) defendem que Léo Índio, primo dos filhos do presidente, peça demissão do gabinete do senador. A informação é da coluna de Bela Megale.

A coluna perguntou a Léo Índio se ele se desligaria do gabinete. Ele teria lido a mensagem, mas não respondeu. Como assessor parlamentar, recebe salário de pouco mais de R$ 14 mil por mês.

Rodrigues deixou a vice-liderança do governo no Senado nesta quinta-feira (15/10), após a repercussão do caso e pressão do governo. A exoneração do senador do cargo foi publicada no Diário Oficial da União (DOU).

Parlamentares da base do governo disseram que estão “estarrecidos” com a notícia e afirmaram que Rodrigues “era um dos nossos”. Eles relembraram que o senador participou do grupo que acompanhou Jair Bolsonaro em uma viagem a Israel, no ano passado.

A reportagem tentou contato contato com o gabinete de Rodrigues, sem sucesso.

Últimas notícias