“Solto sim, livre não”, diz Onyx Lorenzoni sobre soltura de Lula

O ministro da Casa Civil de Jair Bolsonaro citou uma passagem bíblica para "prever" que o petista será preso novamente

Igo Estrela/MetrópolesIgo Estrela/Metrópoles

atualizado 08/11/2019 20:50

O ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, quebrou o silêncio do Palácio do Planalto e comentou na noite desta sexta-feira (08/11/2019) a soltura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. No Twitter, o braço-direito do presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL), afirmou que o petista está “solto sim, livre não”.

O comentário faz alusão ao slogan da militância do ex-presidente, que pedia pela liberdade dele com “Lula livre“. “Solto sim, LIVRE NÃO. ‘Nós não somos dos que retrocedem para a destruição, mas dos que têm fé para preservar a vida’ – Hebreus 10:39”, escreveu Onyx citando uma passagem bíblica.

Para o titular da Casa Civil, o petista é o “chefe da quadrilha” dos condenados e, apesar de solto nesta tarde, voltará para a cadeia. Lula foi liberado após o Supremo Tribunal Federal (STF) rever a jurisprudência do cumprimento de pena após a condenação em segunda instância.

“Nosso Brasil é diferente daqueles que comemoram a soltura de bandidos. Estamos consertando os erros de muitos dos condenados que estão sendo soltos. Inclusive do chefe da quadrilha que vai voltar pra cadeia. Brasil acima de tudo. Deus acima de todos”, publicou.

Ao sair da prisão, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva agradeceu aos integrantes do acampamento Lula Livre, que, durante 580 dias, estiveram em frente à carceragem da Polícia Federal em Curitiba. O petista disse que o apoio foi “o alimento para que ele pudesse lutar” contra o que chamou de “lado podre” do Ministério Público, da Justiça e da Polícia Federal.

Segundo o petista, essas instituições trabalharam para criminalizar a esquerda, o PT e a ele mesmo.

“Vocês eram o alimento da democracia que eu precisava para enfrentar o lado podre da Polícia Federal, o lado podre do Ministério Público Federal, o lado podre da Receita Federal e trabalhar pela esquerda. Eles tentaram criminalizar o PT e o Lula. Eu não poderia ir embora daqui sem cumprimentar vocês”, disse Lula.

Últimas notícias